10 de ago de 2013

Discursos que Mudaram o Mundo - Vários Autores



“Os discursos políticos estão a meio caminho entre a teoria e a prática. Guardam da primeira a capacidade de formulação e da segunda a intenção de interferir na realidade. A rigor, discursos não mudam o mundo, mas registram os resultados de mudanças ou apontam para transformações no curso da política, das sociedades, dos costumes etc. Fernando de Barros e Silva (Colunista da Folha) “


Desde o meu primeiro vestibular, em 2008, eu soube que gostaria de fazer algo relacionado à História, ela sempre foi uma das minhas melhores disciplinas, e disparado, a minha preferida. E isso não mudou na faculdade, a Teoria Geral da Administração, que basicamente mostra a evolução dessa ciência ao longo do tempo, possui grandes chances de fazer parte do meu Trabalho de Conclusão de Curso.

Digo-lhes aqui e agora, meus amigos   mesmo que tenhamos que enfrentar dificuldades, hoje e amanhã, eu tenho um soho. Um sonho que está profundamente enraizado no sonho americano.
"Digo-lhes aqui e agora, meus amigos   mesmo que tenhamos que enfrentar dificuldades, hoje e amanhã, eu tenho um sonho. Um sonho que está profundamente enraizado no sonho americano".
 Em 2010, por acaso, eu vi em uma revista da biblioteca a propaganda sobre essa coleção, fiquei apaixonada (óbvio). Fisicamente falando, eles são de ótima qualidade, e cada um dos volumes (20 ao todo), saía a mais ou menos 20 reais, incluindo o frete. Cada um dos volumes trás um pensamento que revolucionou a maneira de pensar de sua época, apenas para citar alguns exemplos: A origem das espécies (Charles Darwin (1809-1882)), A interpretação dos Sonhos (Sigmund Freud (1856-1939)), O Capital (Karl Marx (1818 – 1883)), Alcorão Sagrado, a Bíblia Sagrada, A política (Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C.)) e muitos outros desse naipe.  Infelizmente consegui comprar apenas quatro no site, terei que procurar os outros nos sebos (isso se eu consegui achar T.T).

"Ou aprendemos a caminhar juntos pela paz e harmonia, ou partimos à deriva para a ruína, a nossa e a dos outros.(...)
(...) Não existe paz sem um amor apaixonado pela paz. Não existe paz sem uma vontade feroz de construir a paz.
A paz é um canteiro aberto a todos e não apenas aos especialistas, sábios e estrategistas.A paz é uma responsabilidade universal: ela passa por mil pequenos atos da vida cotidiana. Pela sua maneira de viver com os outros, os homens fazem a sua escolha pela paz ou contra a paz."


Na verdade, eu já tinha começado a ler “Os Discursos que Mudaram o Mundo” antes, mas tive que parar por que na época eu mal parava em casa, ficava o dia todo na escola, chegava a minha casa só a noite e morta de sono, e esse não é um livro que se possa sem um dicionário ao lado. Aproveitei as férias e comecei a lê-lo novamente.

"Lembremo-nos que uma atitude civilizada não é um sinal de fraqueza, que é sempre necessária uma prova de sinceridade. Não negociaremos sob o império do medo. Mas não temos medo de negociar."
Bom, o livro contém 27 discursos internacionais (traduzidos, é claro), e quatro brasileiros (que podem não ter mudado o mundo, mas definitivamente alteraram nossa história). A maioria deles está historicamente inserido no contexto das Duas Grandes Guerras (1914 a 1945), e as repercussões (e conseqüências) das mesmas em diferentes países do mundo (Cuba, Chile, Índia, etc.). 
 
"Não tenho nada mais que oferecer do que sangue, labuta, lágrimas e suor"
Para os aficionados por história (como eu), esse livro apresenta as Teses de Abril (Lênin), os 14 pontos de Wilson (que influenciaram sensivelmente o Tratado de Versalhes) e o discurso de Roosevelt que marca a entrada dos EUA na Primeira Guerra Mundial.
"Comprometemo-nos a construir uma paz completa, justa e duradoura. (...) uma nação arco-íris, em paz com ela própria e com o mundo".
Lênin, Mussolini, Hitler, Stálin, Gandhi, Fidel Castro, Nelson Mandela, Margaret Thatcher, personalidades que mudaram o rumo político de seus países, e que são lembrados até hoje pelo que disseram e fizeram...
"O povo deve defender-se, mas não sacrificar-se. O povo não deve deixar-se abater nem maltratar, e também não pode deixar-se humilhar."
Particularmente, eu destacaria os discursos de Martin Luther King, João Pulo 2º, Yasser Arafat e Barak Obama, assim como Nelson Mandela, eles falavam da tolerância (e respeito) entre grupos diferentes para que unidos, pudesse ser construído um caminho em direção à paz, à justiça e à dignidade de todos. Essas duas palavrinhas, tolerância e respeito, para mim, são a chave de toda e qualquer relação humana, e infelizmente, parece que foram esquecidas e enterradas por muita gente (principalmente por políticos/governantes/líderes/...).
"Penso nos momentos em que nos disseram que não podíamos e em toda essa gente que se esforçou para seguir em frente com esta fé na América. (...) Sim, nós podemos."
 Na parte brasileira está o discurso mais antigo, proferido em 1823 por D. Pedro I, na abertura da Assembleia Geral Constituinte e Legislativa. Também está o que mais me surpreendeu: o de Afonso Arinos, em 1954, com o discurso que é considerado por muitos historiadores como o início do fim do governo de Vargas. Surpreendeu-me por que algumas passagens (as que estão na imagem) podem ser perfeitamente ditas no contexto atual, e acho que basicamente, é o que esse monte de protestos está querendo gritar. Jucelino Kubichek e Jânio Quadros encerram o volume.
"(...) existe no Governo deste País um grupo de criminosos e que os negócios de nossa Republica estão sendo conduzidos ou foram conduzidos até agora sob a guarda de egressos das penitenciárias ou pretendentes às cadeias.(...)
(...)Presidente, lembre-se Vossa Excelência das incumbências e das responsabilidades do seu mandato; lembre-se dos interesses nacionais que pesam não sobre a sua ação somente, mas sobre a sua reputação.(...)
(...)Tenha a coragem de perceber que o seu Governo é, hoje, um estuário de lama e um estuário de sangue."
A Folha de São Paulo faz ótimas coleções a preços melhores ainda. O frete é barato, a entrega é feita dentro do prazo e os produtos chegam sem dano algum, tudo é feito com muito capricho. Não tenho reclamações, pelo contrário, recomendo sempre que posso.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)