27 de ago de 2013

FullMetal Alchemist (Animes e Mangá)



Mais um título lido graças à Central de Mangás Online.

Série de mangá no estilo shonen criada por Hiromu Arakawa em 2001. Recebeu duas adaptações para o anime, uma exibida entre 2005 e 2006 e a outra em 2009.

A história acompanha os irmãos Edward e Alfonse Elric na jornada em busca de recuperar seus corpos. Eu explico: Depois de serem abandonados pelo pai ainda muito pequenos, e de perderem a mãe pouco tempo depois os irmãos começam a pesquisar sobre alquimia (uma técnica que podia conseguir qualquer coisa, desde que fosse oferecido algo em troca) para ressuscitá-la. A lei máxima da Alquimia é a “Troca Equivalente”: transmuta-se um objeto reorganizando e recombinando as substâncias químicas que compõem o objeto (Destruição – Recombinação – Construção). Como um corpo humano é composto por diversos elementos químicos, em teoria, pode-se criá-lo misturando os elementos certos e em suas devidas proporções.

As crianças Elric colocam essa teoria em prática, quebrando um dos tabus da Alquimia: a Transmutação Humana. Obviamente, se desse tudo certo, não haveria anime: o resultado da transmutação foi um monstro desfigurado e sem alma e o preço cobrado pelo Portal da Verdade caiu sobre os dois: Edward perdeu sua perna esquerda, e Alfonse, todo o seu corpo. Desesperado pela perda de seu irmãozinho, Ed sacrifica seu braço direito e liga a alma do irmão a uma armadura por meio de um  selo de sangue.

Graças a Automails (próteses mecânicas) feitas pela Winry, amiga de infância dos dois, os irmãos Elric iniciam a busca pela lendária pedra filosofal (única substancia capaz de ignorar a lei da troca equivalente). A determinação de Edward é tão grande, que ele até aceita ser chamado de cão do exercito, se tornando um Alquimista Federal com o título de Alquimista de Aço.
 
 Ao longo da história, Ed e Al descobrem que existem outras pessoas (e criaturas) que também buscam a substância lendária, e percebem que sua procura pode mudar drasticamente o futuro de uns pais inteiro.
A primeira adaptação para o anime foi feita durante a publicação do mangá, ou seja, mudanças foram feitas, e mudanças drásticas devo dizer, ela, simplesmente, terminou sem pé nem cabeça. Ainda assim, a história ficou ótima (e olha que se tem uma coisa que me tira do sério em um anime é quando ele termina faltando coisa para ser resolvida). Agradeço até hoje ao Diogo por ter me emprestado os DVDS dele, que por sinal foram os primeiros da minha coleção, juntamente com Hellsing.
Em 2009, foi lançado Fullmetal Alchemist: Brotherhood, propondo seguir a mesma linha do mangá. E se a primeira versão já tinha sido boa, a segunda ficou fodástica. A adaptação ficou EXCELENTE, a sequência do mangá foi bem respeitada, os personagens também foram respeitados e tudo foi finalizado e devidamente explicado. Tudo isso, somado a batalhas épicas e doses de humor na hora e na medida certa fizeram desse anime ficar numa posição bem alta do meu rank. (Não me peçam para colocá-los em ordem de preferência, pois isso é impossível).

Algo que eu achei muito interessante foi a evolução de Edward ao longo dessa versão: ele sempre mostrou ser muito maduro (apesar de perder as estribeiras quando o chamam de baixinho), mas em algum momento na segunda metade do anime, ele deixou de ser um garoto e começou a passar a imagem de homem mesmo, isso me chamou atenção por que é uma coisa difícil de se ver.
Personagens favoritos? Vários! (alguns estão nas imagens)


Cenas marcantes? Incontáveis (chorei horrores nos dois animes E no mangá)

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)