1 de set de 2013

A Rainha dos Condenados – Anne Rice




Assim como “Entrevista com Vampiro”, “O Vampiro Lestat” se tornou um livro de sucesso (isso aumenta drasticamente a sensação de que tudo isso aconteceu mesmo, que todos os personagens existem de fato e caraaaaaaca, a sensação é ótima).

Astro do Rock, aclamado por milhões de fãs ao redor do Mundo, Lestat canta aos quatro ventos canções sobre os maiores segredos dos Seres da Noite. Seu sucesso e sua sede por atenção fez inflamar o ódio e a adoração de praticamente todos os vampiros ao redor do mundo. Também fez com que um ser adormecido há milênios despertasse, Akasha, a Mãe de todos os vampiros.

Depois de 6 mil anos entorpecida dentro de um Santuário, ela quer dominar o destino da raça humana novamente, forrando o mundo com uma camada do sangue dos mortais, quer governar um mundo somente de mulheres, que segundo ela, saberiam construir uma terra pacífica e justa.

O livro alterna narrações entre a primeira e a terceira pessoa, Lestat continua sussurrando sua trajetória. E o narrador onisciente (o próprio Lestat) se encarrega de outros personagens, que se alternam à medida que a história avança. Os novos personagens são inseridos á trama antes do Show de Lestat em São Francisco. Alguns já são conhecidos, como Luis, Marius e Armand outros são apresentados, como Pandora. É neste livro que as bruxas aparecem pela primeira vez (ou é a primeira vez que elas participam de fato da trama principal), a “Lenda das Gêmeas” aparece a todo o momento, principalmente entre os novos personagens. Essa parte foi muito bem montada, tudo se relacionou perfeitamente.

Este é o terceiro livro da série As Crônicas Vampirescas (que cada vez sobe mais no meu conceito), e fica cada vez mais fácil de acompanhar o ritmo mais melancólico dos personagens e os relacionamentos ocasionalmente homossexuais entre Lestat, Luis, Armand, Maruis e companhia (o que de certa forma é muito bom, por que ver vampiros se apaixonando perdidamente por humanas estava ficando entediante). Não há como ficar cansado, a cada novo vampiro que aparece tudo se expande, cada pequeno evento que eles presenciam é muito bem descrito. Fora que Lestat é a travessura em pessoa, alheio a qualquer regra, sempre buscando saciar seus desejos, impulsivo, hipnótico e ao mesmo tempo doce, solitário, carente, um mero rapaz querendo atenção.

4 comentários:

  1. Eu tinha O Mennoch, mas acabou que nao consegui ler. Todo mundo fala muito bem da Anne Rice, mas acabou que doei o livro sem ler nenhuma página heheheh.

    Também sou blog parceiro do Leonardo Monte, já to seguindo. Confere as resenhas lá no blog.


    Beijos

    Livros e Café

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas também, começar a ler uma série a partir da metade é osso né? xD
      Mennoch é o sétimo livro da coleção. Mas garanto que, se acompanhada desde o início, ela supera muita modinha vigente por ai.
      Bjos!

      Excluir
  2. Sempre tive vontade ler algo da Anne Rice, mas nunca a coragem :/
    Você disse que esse é o terceiro...precisa necessariamente ler os anteriores ou da pra entender a história?
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julio, as histórias são independentes uma da outra. O que acontece é que os personagens são os mesmos, aliás, O personagem principal é o mesmo, pois tudo gira ao redor de Lestat.
      Confesso que não sei se tudo fará sentido se você ler os livros isoladamente. Vale fazer uma tentativa, se você entender, pegue a série a medida que for conseguindo os volumes.
      A Anne Rice também tem algumas obras que não estão inseridas em nenhuma coleção, já que você quer tanto conhecer, também é uma boa.
      =)

      Excluir

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)