14 de out de 2013

A História do Ladrão de Corpos – Anne Rice



O post de Nº 50 é dedicado ao quarto livro da série As Crônicas Vampirescas.


Seguindo seus antecessores, A Rainha dos Condenados TAMBÉM foi publicada. É como se estivéssemos lendo um dos diários de Lestat.

Se alguém, algum dia, tiver a oportunidade de conversar com Anne Rice, poderia, por favor, perguntar ONDE ela escondeu Lestat? E como ela conseguiu que ele contasse seus segredos de maneira tão fodasticamente travessa? É impossível, esse cara existe, e deve estar as gargalhadas com a minha reação nas páginas iniciais desse livro. Ele é incírvel!

Dessa vez, a história se passa em 1990. A lembrança e o efeito de Akasha deixaram Lestat devastados. Seus raros momentos de alegria são os compartilhados com seu recente amigo, David Talbot. 

Até que ele recebe uma estranha proposta de um mortal completamente desconhecido, mas que mostra ter tanta personalidade quanto o nosso protagonista. Raglan James propõem trocar de corpo com Lestat por uma semana inteira. 

Imagina ter condições de possuir por uma semana o corpo da criatura mais poderosa que existe (mesmo entre os vampiros sobreviventes)? Na boa, é insano. 

Aliás, em boa parte do livro fiquei com a sensação de que algo definitivamente NÃO estava certo. Aquela sensação de algo está muito errado, mas que você não sabe o que é? Mas Lestat, como sempre, ignora qualquer coisa que diga para não fazer algo que ele tem vontade de fazer. Teimoso, como só ele, ele vai lá e faz. É claro que ele se ferra (caso o contrário não tem livro). Pior que isso, como um mortal, ele vê a morte de perto, o abandono de seu filho Luis e a raiva (diria desprezo) de seu amigo Marius.

Eu preciso me acostumar com os acessos eróticos que Lestat tem por homens... Não me entendam mal, não possuo ABSOLUTAMENTE NADA contra homossexuais, apenas não estou acostumada a ler detalhamentos sobre esse tipo de romance. 

De certa forma, o ciclo se repete: Lestat quer algo diferente para viver e para provar (e esfregar na cara dos outros vampiros que ele É Lestat), ele se ferra, ferra as pessoas próximas a ele, vive um drama tremendo apenas para sair vitorioso, um pouco abalado, e recompensado por suas aventuras. Só que nesse caso, a recompensa é uma paz de espírito que há muito tempo eu não era demonstrada. E um novo filho, diga-se de passagem. =x

Da ultima vez que falei sobre essa série, me perguntaram se é obrigatório acompanhar a ordem da série. Acho que agora posso falar com mais certeza: Não, os livros podem ser lidos independentemente um do outro. Até o momento, não consegui identificar nenhuma perda de conteúdo.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)