28 de nov de 2013

A Vingança – Christopher Reich



A Vingança é a continuação da trama iniciada em A Farsa. (Então CUIDADO! Este post PODE conter spoilers!).

Seis meses se passaram desde que a verdade sobre sua esposa foi revelado. O médico Jonathan Ransom voltou exercer sua profissão nas missões dos “Médicos sem fronteiras”. Apesar dos acontecimentos, ele não desistiu de sua esposa. Após receber um convite para palestrar em um seminário internacional de medicina em Londres, Jonathan é reaproximado da esposa. É aí que as coisas desandam novamente.

Preciso comentar uma coisa completamente fora do livro: eu não sei como DIABOS alguém ainda não percebeu que essa trama é PERFEITA para ser adaptada às telonas. É intrigante, é surpreendente e o Karl Urban ficaria perfeito como Jonathan. =x

O dinamismo de A farsa continua. A exceção de Jonathan e Emma, os demais personagens mudaram. A trama fica definida lá pelo capítulo 21 (quase 10 capítulos a mais de introdução que o livro antecessor). Apesar do início longo, foi algo necessário, qualquer corte ou resumo faria a trama ficar sem pé nem cabeça.

Talvez pelo fato de você esperar uma pista em cada capítulo, fica mais fácil de identificar os rastros que alguns deles trazem. Falando como uma novata em literatura investigativa, é bem emocionante (quem sabe eu me aventure em Sherlock Holmes depois dessa Kkkk).

Fiquei contente pelas decisões tomadas por Jonathan ao longo do enredo, além de provar para todos que ele não era nenhum imbecil inútil, ele finalmente se tocou que Emma não presta. (Pelo menos por enquanto acho =P).

25 de nov de 2013

Magic Mike



Atenção Atenção meninas! Tirem os boys da sala por que Channing Tatum, Alex Pettyfer, Matthew McConaughey, Matt Bomer e Joe Manganiello não gostam de concorrência.

Magik Mike é um filme Estado Unidense de 2012.

Mike Martingano é um rapaz de 28 anos que faz de tudo um pouco. Uma de suas metas é conseguir sobreviver dos móveis que ele faz a partir do material que ele encontra depois de catástrofes como ciclones e furacões. A única coisa que impede a realização de seu sonho, é a recusa do banco em fornecer o empréstimo que o permitirá dar a alavancagem inicial em sua empresa. Enquanto não consegue o empréstimo, ele sobrevive se apresentando no Xquisite, uma boate de strip. Em um de seus bicos, ele conhece Alex (Alex Pettyfer), um rapaz de 19 anos completamente dependente de sua irmã. Ele largou a faculdade, se recusa a trabalhar em lugares “que vão contra seus princípios” (leia-se: em todos) e sempre arranja confusão nas raras oportunidades que consegue.

A história acompanha o aprendizado de Alex em todas as artes dessa profissão durante 3 meses.


A história em si é bem simples (para não dizer sem graça). Para falar a verdade, eu tive apenas 5 motivos para assistir a esse filme: Channing Tatum, Matthew McConaughey, Matt Bomer, Joe Manganiello e esses marmanjos fazendo strip tease. =P

22 de nov de 2013

Elfen Lied (Mangá)




Mangá criado por Lynn Okamoto e publicado entre Junho de 2002 e Agosto de 2008.

As pessoinhas que gostam de jorros de sangue irão adorar a história. São mais de 15 mortes sangrentas em menos de 3 capítulos. E isso tudo no primeiro volume.

Lucy é uma diclonius, uma espécie mutante parecida com os humanos na forma, mas distinguíveis por dois chifres na cabeça e pelos vetores, braços transparentes controlados mentalmente que têm o poder de manipular e cortar objetos dentro do alcance. Ao fugir do laboratório em que era mantida presa, o capacete de Lucy é atingido por uma bala. Assim surge Nyu, uma garota meiga, infantil e que não consegue falar nada além de “nyu”. Ela passa a viver com dois primos em idade estudantil, Kouta e Yuka. Aos poucos, um triângulo amoroso surge no enredo. E um psicopata maluco com um plano (muito perverso) para acabar com a raça humana também. =x

Em 2004, ela foi adaptada para um anime de 13 episódios, e me atrevo a dizer que é um dos animes mais conhecidos pela galera que curte animações japonesas (pelo menos era no meu antigo círculo de amizades).
Eu não gosto de citar faixas etárias, mas eu não indicaria esse enredo para menores de 14 ou mesmo 16 anos (ou para pessoas sem um pingo de maturidade mental, seja lá de que idade for) simplesmente por existirem cenas de nudez explicita. É tipo, o protagonista (Kouta) tentando vestir uma menina e pegando em seios, tentando vestir um short nela de olhos fechados... Ou ela simplesmente invade a banheira enquanto ele está tomando banho... Enfim, Lembrem-se de que um seinen possui publico alvo masculino... Enfim... Para falar a verdade, algumas cenas eu não indicaria nem para menores de 18 anos.

Elfen Lied é um mangá que lida com o fator de dupla personalidade extrema: Nyu é quase uma criança pequena, infantil, doce, inocente. Já Lucy é uma assassina de sangue frio que não se importa em retalhar o que quer que esteja em seu caminho ou quem quer que tente machucar algum de seus amigos (que, por sinal, não sabem de sua existência). A história também gira em torno das interações, ideias, emoções e discriminações entre humanos e Diclonius.

Eu assisti o anime já faz muito tempo, quase 10 anos acho (velhice batendo, creeedo). Olhando somente o mangá (não lembro quase nada do anime) eu posso encontrar uma razão para ter gostado da história: um desejo de jorros e mais jorros de sangue e desmembramentos que volte e meia me assola (principalmente nos momentos de raiva desvairada). xD

Meu ultimo comentário, é que 107 capítulos estouraram a minha cota de jorros de sangue e desmembramentos pelo menos até o resto do ano. Credo.

20 de nov de 2013

Star Trek - The Original Série - 1ª Temporada



Apesar de exigirem um pouco mais da minha paciência habitual eu AMO ver filmes e séries antigos (principalmente década de 70 ou 80). Eu adoro ver as execuções das tramas e se querem saber, algumas histórias são muito melhores dos que as que vemos atualmente. Eu simplesmente não consigo conter a minha empolgação por poder rever essa série. (=D) 

Jornada nas Estrelas é uma série de TV Norte Americana de Ficção Científica produzida entre 1966 e 1969. O sucesso foi tanto, que foram produzidas CINCO séries spin-offs e 12 filmes (14 contando com as produções de 2009 e de 2013), criando uma verdadeira mitologia dentro desse universo e cativando centenas de fãs ao longo de gerações (fãs que estão voltando com tudo graças aos filmes que estão sendo produzidos). O “The Original Serie” foi adicionado posteriormente para se diferenciar das outras produções paralelas.

A série segue as aventuras da tripulação da nave estelar USS Enterprise, comandada pelo Capitão James T. Kirk (William Shatner), o Primeiro Oficial Comandante Spock (Leonard Nimoy) e o Oficial Médico Chefe Leonard McCoy (DeForest Kelley). Essa primeira fase se passa no século XXIII.
O monólogo de introdução (epicamente) narrado por William Shatner em cada episódio estabelece o propósito da nave:

 

No episódio piloto, o capitão da Enterprise é Christopher Pike, apesar de ele não fazer parte do elenco principal, ele possui grande importância no enredo da série. O trio clássico composto por Kirk, Spock e McCoy (que, na minha humilde opinião foi uma das coisas que ajudou a imortalizar a série), assume a partir do terceiro episódio.
 
Assim como a maioria das séries dessa época, o enredo não se prende a uma trama principal. Cada episódio possui uma história independente, devidamente concluída. Nas raras exceções, a mesma história ocupa dois episódios. Às vezes (e muito às vezes mesmo), um episódio relata consequências de algum dos episódios anteriores, mas vi isso acontecer somente uma ou duas vezes. Eu não sei se o esquema de comentar os melhores episódios vai funcionar, mas veremos o que acontece:

Episódio 04 - The Enemy Within: Uma falha no sistema de transporte divide as duas forças existentes dentro de Kirk. É o que eu sempre digo, toda mulher gosta de garotos malvados (nas doses certas, é claro). Esse episódio foi considerado um dos 10 melhores de toda a série pela IGN, um dos melhores portais sobre videogame dos Estados Unidos, juntamente com “Where No Man Has Gone Before”, “The Naked Time” e “Balance Of Terror”, todos da primeira temporada.

Episódios 15 e 16 - The Menagerie (partes 1 e 2): Capitão Pike está de volta... Bem, o que sobrou dele, pelo menos. Esses dois episódios fazem o piloto da série ganhar (muito) sentido. E, se por acaso, a pessoa não viu o piloto, sem problemas, O EPISÓDIO REPRISA ele para você.  E temos Spock mostrando um pouquiiiinho de seu lado sentimental, o que sempre rende episódios consideravelmente bons. Outra coisa que, geralmente, faz os episódios de Star Treck serem ótimos é quando colocam a confiança entre Kirk/Spock – Spock/Kirk em cheque, fica muito lindo. (*-*) Preciso dizer que foram esses episódios que renderam ao Spock (e ao Sr. Leonard Nimoy) o título de soberano do meu coração enquanto Trekker.

Episódio 24 – Space Seed: Eu NECESSITO destacar esse episódio! Primeiro por que ele possui a (épica) participação do ator Ricardo Montalbán. Segundo por que esse episódio rendeu DOIS FILMES, um em 1982 e outro em 2013. Esse episódio foi destacado com um dos melhores da série tanto pela IGN quanto pela Entertainment Weekly, uma das revistas de entretenimento mais conceituadas dos Estados Unidos. O episódio gira em torno de uma nave da (nossa) década de 90 é encontrada vagando pelo espaço. Nela, 72 humanos geneticamente modificados são mantidos congelados. Seu líder, Khan, é o primeiro a despertar.

(Se a postagem não tivesse ficado tão grande, acho que eu marcaria mais uns 2 episódios). =P

17 de nov de 2013

Outra Volta no Parafuso – Henry James



Autor americano do século XIX, Henry James foi considerado um dos pioneiros no uso de “flash-back” e da narrativa indireta. Durante sua vida, ele teve oportunidade de conviver próximo a ícones como os escritores franceses Gustave Flaubert, Émile Zola e Guy de Maupassant e o romancista russo Ivan Turgueniev.

Apesar da minha (grande) tendência a perder o fio da meada, eu adoro a narração indireta. A sensação de que a história está, de fato, ocorrendo com você é revigorante.

Pois bem, ainda nas primeiras paginas, o leitor é colocado no lugar de um rapaz que está escutando uma história de seu amigo. É uma pequena contextualização da personalidade de quem contará a história, e alguns comentários que nos fazem morrer de curiosidade. Tudo o que eu consegui imaginar até essa parte (pagina 15 da minha edição), é que se trata de uma história de suspense ou de terror (socorro).

Um fato curioso (e completamente fora do enredo) é que, por algum motivo, eu encontrei certa convergência com o tipo de história que eu gosto de montar. Tipo, a garota, não necessariamente interiorana, mas que vem de uma realidade menos favorecida encontra-se com um rapaz de status (que sempre é elegante, orgulhoso, sedutor e fechado a qualquer tipo de relacionamento). Os desdobramentos desse encontro, é claro, formam o enredo da história. Por sinal, eu achei a semelhança impressionante, e olha que eu nunca havia lido esse livro.

Toda a narração é feita indiretamente, a história é contada através da ótica da personagem principal. Talvez, por causa disso, o desenvolvimento ficou um tanto confuso e fragmentado. As coisas que a governanta vê e faz se confundem com as coisas que ela pensa e conclui, a linha entre uma coisa e outra é muito tênue. E os parágrafos longos (até demais) contribuem ainda mais para essa confusão.

Ao ler sobre a história, achei que tinha dado o azar de ter pegado outro livro de terror (ainda traumatizada pelo Contos de Amor, de Louca e de Morte). Felizmente, se trata de um “simples” suspense. A abordagem fragmentada que a narração indireta trás à história acentua ainda mais esse suspense, afinal, a única visão que temos dos fatos é a que a governanta possui. Enquanto vemos uma parte do todo, várias outras se escondem.

Fiquei muito contente em saber que as coisas ficam mais claras nos últimos capítulos, estava começando a ficar bastante desanimada com o desenrolar das coisas.

14 de nov de 2013

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind)




Eu DEFINITIVAMENTE preciso ver mais filmes... T.T

Em pleno dia dos Namorados, Joel (Jim Carrey) resolve faltar o trabalho e ir a uma praia distante de sua residência. Ele vai mesmo sem ter motivo algum para ir. Durante a viagem, ele conhece Clementine (Kate Winslet) uma garota que parece mudar de humor a cada duas frases ditas. Enfim... Os dois acabam se aproximando. Ao ver sua namorada se relacionando com outro cara e agir como se não o conhecesse, Joel descobre que Clementine pagou a uma empresa para que todas as lembranças relacionadas a ele fossem apagadas. Inconformado, Joel resolve passar pelo mesmo procedimento e apagar todas as memorias dela.

(Alguém poderia me dizer por que Mark Ruffalo só faz papel de cientista maluco?)

A partir daí, o esquema do filme muda. O filme mostra Joel passeando em suas próprias lembranças durante o procedimento de apagamento de lembranças. Imagine-se se vendo em uma sala de monitoramento cerebral com as vozes dos médicos falando (em uma fala completamente desconexa com a cena) algo sobre a voltagem dos fios, e, ao mesmo tempo em que você revive lembranças de antes de o procedimento começar.
 
Detalhe: a equipe que faz o apagamento de memórias é bizarra! O cara está quase em coma na cama, com uma parafernália cheia de fios ligados a um capacete, enquanto eles assaltam a geladeira, comem da sua comida, mexem nas suas coisas, colocam um prato de comida em cima de você, se drogam na sua cama e passam a noite toda cagando e andando para o procedimento que eles são pagos para fazer.

Aos poucos Joel percebe o quão precioso as lembranças de Clementine são. (É legal quando ela aparece chorando dizendo ao atual namorado que ele estava desaparecendo). E ai começa uma corrida desesperada para salvar nem que seja um pouco dos momentos em que passaram juntos.
O meu senso de comédia deve ser MUITO estranho, sério. O que eu vi nesse filme foi uma ficção científica muito bem disfarçada de drama, eu quase (veja bem, QUASE) fui às lágrimas. Rsrsrs

12 de nov de 2013

Coleção Biblioteca Gazeta Mercantil (1 e 2)




A Coleção Biblioteca Gazeta Mercantil (ou Coleção Sucesso Em 1 Hora) tem como objetivo passar informações sobre Desenvolvimento Profissional, Marketing e Administração por meio de textos rápidos (a proposta é uma leitura de 1 hora, no máximo). 

Não estamos falando de um “Siga estes passos”, e sim, de um “um essas dicas a seu favor”.

Uma coisa que achei interessante, é que cada volume trás mostra como seu conteúdo pode ser extraído ao máximo. Em alguns falará para ler aos poucos e na ordem que for mais conveniente, em outros, te pedirá para ler de uma vez e fazer releituras de acordo com a necessidade. Poucos livros desse tipo trazem isso.

Volume 1 – Conquiste o Emprego Certo (Calum Roberts) – Entrar no mercado de trabalho é uma tarefa cada vez mais desafiadora. As dicas desse livro são simples e muito coerentes com a enxurrada de informações sobre o assunto, a diferença, é que além dos “o que fazer”, elas são seguidas de exemplos, depoimentos e um “você pode começar daqui” (particularmente muito úteis para pessoas que, como eu, possuem 22 anos nas costas e nada além de estágios nas costas). 


  

Volume 2 – Correspondências Eficazes (John Frazer-Robinson) – Eu sempre gostei da palavra escrita (acho que isso não é novidade por aqui), e um dos textos desse livro apenas reforçou esse gosto. É como se o texto tivesse conversando diretamente com o meu coração. (*-*) Apesar de ser mais voltado para a correspondência comercial (cartas de vendas, para ser mais exata), algumas das dicas apresentadas são muito úteis para os outros tipo de escrita (como um blog, por exemplo), sendo necessário apenas certas adaptações, mas nada muito difícil.

10 de nov de 2013

RED – Aposentados e Perigosos



Filme americano de 2010 de comédia e ação, baseada na série em quadrinhos de mesmo nome criado por Warren Ellis e Cully Hamner.

RED é a sigla de “Retired, Extremely Dangerous", ou "Aposentado Extremamente Perigoso".

Frank Moses (Bruce Willis) é um ex-agente da CIA, hoje aposentado, que tenta levar uma vida normal. Ele está interessado por Sarah (Mary-Louise Parker), com quem constantemente conversa ao telefone, apesar de ainda não conhecer pessoalmente. Um dia, a casa de Frank é atacada por agentes da CIA (demolição de casas com METRALHADORAS, lindo!). Sem saber o que está acontecendo, ele deduz que logo perceberão sua ligação com Sarah e parte para protegê-la. Para entender o porquê de ter sido atacado, Frank precisará da ajuda de seus antigos companheiros Joe (Morgan Freeman), Marvin (John Malkovich) e Victoria (Helen Mirren), todos também aposentados.

Esse é um ótimo exemplo de elenco bem escolhido, roteiro bem feito e execução perfeita. Poucos filmes foram tão elogiados, tanto é que em 2013 foi lançada a continuação... Que eu ainda não vi. =x

Sente só o naipe da equipe: Bruce Willis, Mary-Louise Parker, Morgan Freeman, Helen Mirren, John Malkovich, (meu para sempre amado) Karl Urban e Julian McMahon. Se você ainda não viu, sério, veja. É muito bom mesmo!
 Já devo ter assistido a esse filme no mínimo umas 5 vezes, e ele não fica chato! É um dos poucos que fazem isso. E tipo, NUNCA, JAMAIS, subestime o poder de um porquinho de pelúcia rosa e fofinho, ele pode fazer mais estrago do que você pensa. xD