22 de nov de 2013

Elfen Lied (Mangá)




Mangá criado por Lynn Okamoto e publicado entre Junho de 2002 e Agosto de 2008.

As pessoinhas que gostam de jorros de sangue irão adorar a história. São mais de 15 mortes sangrentas em menos de 3 capítulos. E isso tudo no primeiro volume.

Lucy é uma diclonius, uma espécie mutante parecida com os humanos na forma, mas distinguíveis por dois chifres na cabeça e pelos vetores, braços transparentes controlados mentalmente que têm o poder de manipular e cortar objetos dentro do alcance. Ao fugir do laboratório em que era mantida presa, o capacete de Lucy é atingido por uma bala. Assim surge Nyu, uma garota meiga, infantil e que não consegue falar nada além de “nyu”. Ela passa a viver com dois primos em idade estudantil, Kouta e Yuka. Aos poucos, um triângulo amoroso surge no enredo. E um psicopata maluco com um plano (muito perverso) para acabar com a raça humana também. =x

Em 2004, ela foi adaptada para um anime de 13 episódios, e me atrevo a dizer que é um dos animes mais conhecidos pela galera que curte animações japonesas (pelo menos era no meu antigo círculo de amizades).
Eu não gosto de citar faixas etárias, mas eu não indicaria esse enredo para menores de 14 ou mesmo 16 anos (ou para pessoas sem um pingo de maturidade mental, seja lá de que idade for) simplesmente por existirem cenas de nudez explicita. É tipo, o protagonista (Kouta) tentando vestir uma menina e pegando em seios, tentando vestir um short nela de olhos fechados... Ou ela simplesmente invade a banheira enquanto ele está tomando banho... Enfim, Lembrem-se de que um seinen possui publico alvo masculino... Enfim... Para falar a verdade, algumas cenas eu não indicaria nem para menores de 18 anos.

Elfen Lied é um mangá que lida com o fator de dupla personalidade extrema: Nyu é quase uma criança pequena, infantil, doce, inocente. Já Lucy é uma assassina de sangue frio que não se importa em retalhar o que quer que esteja em seu caminho ou quem quer que tente machucar algum de seus amigos (que, por sinal, não sabem de sua existência). A história também gira em torno das interações, ideias, emoções e discriminações entre humanos e Diclonius.

Eu assisti o anime já faz muito tempo, quase 10 anos acho (velhice batendo, creeedo). Olhando somente o mangá (não lembro quase nada do anime) eu posso encontrar uma razão para ter gostado da história: um desejo de jorros e mais jorros de sangue e desmembramentos que volte e meia me assola (principalmente nos momentos de raiva desvairada). xD

Meu ultimo comentário, é que 107 capítulos estouraram a minha cota de jorros de sangue e desmembramentos pelo menos até o resto do ano. Credo.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)