30 de mai de 2014

Árvore e Folha - J. R. R. Tolkien



Pegando carona nos presentes da Hellen, comprei “Árvore e folha”, pois desde que entrei para a Toca, quis descobrir mais sobre Tolkien. Fora que é sempre bom sair dos livros usuais: por mais que eu tenha AMADO O Hobbit e O Senhor dos Anéis, esses livros não são nem 10 por cento do que ele produziu.

O livro é composto por um ensaio e um conto, que foram escritas na mesma época em que O Senhor dos Anéis.

Uma das coisas comentadas no ensaio “Sobre contos de fadas” é que a nossa definição sobre contos de fadas talvez seja errônea, ou no mínimo incoerente: se as fadas são seres naturais, mas que normalmente estão além de nosso alcance, porque agrupamos as histórias em que elas interferem em nosso mundo com aquelas em que elas nem sequer são abordadas (como as iniciadas e/ou vividas em um sonho)? Tolkien também discorre outros aspectos dessas histórias: De onde surgiram? Para quem são feitas? Como foram (ou como são feitas)? E, talvez a mais importante, por que esses contos fantásticos são tão importantes para nós a ponto de sobreviverem por tanto tempo, por tantas maneiras diferentes e mesmo com tantas adaptações e modificações.

A segunda parte do livro pertence ao conto Folha, de Migalha. O que me surpreendeu foi que esse conto é simples, sem as grandes magias dos contos de fadas, mas tão fantástico quanto. E você o lê e nem percebe o tempo passando. O conto narra a história de um homem que tenta pintar um quadro, mas sempre é impedido de concluí-lo, até que um dia ele tem que sofrer algumas mudanças na vida (uma mudança prevista, mas que sempre era ignorada). É considerada a única narrativa escrita por Tolkien que contém uma alegoria ao seu processo criativo e as dificuldades encontradas nesse processo. O Tolkien seria o Migalha enquanto a obra não terminada seria o Senhor dos Anéis e os outros livros de seu Legendarium.

Obs.: Legendarium é o nome dado a todo o conjunto de lendas e histórias que compõe o Universo de O Senhor dos Anéis. Ao todo, o Legendarium é composto por 12 livros, dois periódicos sobre os idiomas criados por Tolkien, poemas coletados, entrevistas, gravações e etc. Se quiserem saber mais, confiram a postagem do Tolkien Brasil sobre o assunto.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)