27 de set de 2014

Os Sete - André Vianco


Essa não é a primeira vez que leio esse livro. Minha primeira leitura foi por volta de 2010 eu acho, garças a uma promoção do Submarino. 

Eu me lembro que fiquei arrepiada logo no primeiro capítulo, era como se todos os parágrafos gritassem: “Isso vai dar merda! E das grandes ainda por cima.” As últimas frases ilustram muito bem essa sensação: 
“Haviam encontrado algo valioso. Algo que lhes traria lucro.
Haviam encontrado algo maldito, também. Algo que lhes trariam a morte.” 
Mesmo já conhecendo a história esse preludio ao caos é IRADO! E o fato de estar fazendo um frio um tanto excessivo em minha cidade (que por sinal, é praticamente litorânea), a minha vontade é resistir ao medo e ler noite a dentro. 

O início do enredo se passa em uma cidadezinha do interior do Rio Grande do Sul. Dois amigos, Cesar e Tiago, decidem explorar uma antiga embarcação afundada a poucos quilômetros do litoral. Seduzidos pela ideia de encontrar um tesouro que irá resolver suas vidas, eles, juntamente com o departamento de História de uma Universidade da região, tiram a embarcação do fundo do mar. 

A caravela, datada de 1500, guardava sim um grande tesouro, mas o mais intrigante era uma enorme caixa metálica que exibia esses sete nomes: Inverno, Lobo, Tempestade, Gentil, Espelho, Acordador, Sétimo. Além da mensagem: “Nobres homens de bem, jamais ouseis profanar este túmulo maldito. Aqui estão sepultados demônios viciados no mal e aqui devem permanecer eternamente. Que o Santo Deus e o Santo Papa vos protejam.” 

O mais sinistro é que parece que a temperatura de onde você está realmente cai durante a leitura. Credo! 

Esse livro tem absolutamente tudo o que eu gosto em uma história. A narração é incrível, ao ponto de até a quantidade de linhas da página ajudar a aumentar o suspense. E ela te prende de uma maneira que você esquece do mundo (ou, como foi o meu caso, de um TCC um tanto atrasado) para continuar lendo. 

E olha que eu me lembrava até bem da história, e mesmo assim, a minha tão querida adrenalina corria solta em minhas veias (com o agravante do tempo frio, que acreditem, deu uma amainada depois dos acontecimentos finais).

3 comentários:

  1. Oi Luiza!
    Um mooonte de gente elogia o André Vianco e eu juro que estou com um pulguinha atrás da orelha para ler Os Sete, apesar de não querer saber de vampiros mais tão cedo... hahahahaha
    É bacana saber que o autor tem esse poder de transformar as palavras em momentos de terror ao nosso redor, como se estivéssemos realmente no cenário.

    Beijos
    Aline
    Memoirs and Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério, quando começou a fazer frio eu fiquei apavorada! Ainda mais morando tão perto do litoral. Juro que se passasse no noticiário o descobrimento de uma caravela afundada eu iria correr para as colinas de mala e cuia. xD
      Obrigada pela visita. :)

      Excluir
  2. Olá, Luiza! Ainda não li nada do André Vianco, mas os comentários positivos sobre ele estão me deixando curiosa. Vou procurar saber mais sobre essa história, adorei a capa! Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)