26 de out de 2014

Exposição O Encantado (Attilio Colnago)


Eu já devo ter comentado por aqui que meu atual estágio está belissimamente bem posicionado no que diz respeito ao centro histórico de Vitória. O que, graças a uma bem-aventurada mente, tem significado exposições constantes em diferentes locais da cidade. O Palácio Anchieta é (até onde sei) o espaço mais bem preparado para receber exposições de maior renome, e já foram expostos trabalhos de Portinari, Di Cavalcante (que não consegui fazer a postagem), além de vários artistas capixabas.

Nascido no interior do Espírito Santo, Attilio Colnago estudou artes na Universidade Federal do Espírito Santo, onde ingressou em 1973. Sua ênfase é desenho de figura humana. Teve formação complementar por meio de participação ativa nos festivais de inverno de Diamantina e Ouro Preto, onde se iniciou o contato com a arte religiosa barroca, influência marcante em seu trabalho artístico,uma das matérias que leciona atualmente nesta instituição.

A exposição "O Encantado" reúne ilustrações, gravuras, desenhos, figurinos desenhados para algumas peças locais e um vídeo sobre ele e sua obra, além de alguns objetos que fazem parte do processo criativo dele (que vão desde os tradicionais materiais até fotografias, pregos, cabelos, espinhos, facas, e outras coisas que podem ser encontradas a esmo).

Eu gostei muito da exposição. Percebi que ele trabalha muito com sobreposição entre imagens e colagens, e achei interessante a maneira com que ele faz isso sem misturar os dois elementos. As coisas ficam (a meu ver) harmoniosas, diferentes e realmente muito bacanas.

"Attilio busca na história a arte para impulsionar sua criatividade. Tem plena consciência de que cada obra é vista de forma diferente ao ser reinterpretada. A necessidade de ter obras históricas como base para seu trabalho talvez venha pela convicção de que somente a partir delas é possível criar algo novo. Esse novo, na perspectiva do artista, passa pela consciência de saber que suas releituras de obras passadas dependem muito das leituras que ele faz do seu presente"
- Paulo de Barros (Curador) - 

Ele também tralha muito com as cores, e algumas obras são meio ilustração meio pintura. Em outras aparecem muito o jogo entre tons claros e cores metálicas ou bem vivas, se não expliquei direito, aqui vai alguns exemplos:

















Outra coisa que eu achei maravilhoso foi que em alguns quadros (na maioria dos que estavam expostos pelo menos) o fundo do desenho é composto por palavras, escritos em português ou não que fazem ou não algum sentido (pelo menos para mim não fizeram muito). Quer dizer,, o cara juntou a arte escrita (por que caramba, a caligrafia era linda) com a arte pintada, com a arte colada (isso existe?) e ainda retomou algumas técnicas usadas desde a Idade Medieval! Não tudo num quadro só, mas sei lá, achei bonito. :)

Sobre Pontas de Metal
 (uma das técnicas usadas pelo artista em alguns dos quadros da exposição)
A Exposição “O Encantado" está aberta a visitação no Palácio Anchieta (Praça João Clímaco, Cidade Alta) de Terças às Sextas das 08h ás 17h e Sábados, Domingos e Feriados das 09h às 16h. A entrada é franca até o dia 02 de Novembro. A entrada é franca.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)