30 de jan de 2015

Ramsés: O Templo de Milhões de Anos - Christian Jacq


Apenas dez dos setenta dias de luto pela morte do Faraó Sethi se passaram. Durante esse período as atividades que engrandecem o Egito param, os homens não se barbeiam e as mulheres não se maquiam.

No tempo do Caos, Ramsés, o Regente do Egito e associado ao trono por seu pai, enfrenta o sentimento de luto e o avanço de seus inimigos, que torcem por sua falha diante do esmagador peso de ser um Faraó.

Mas a coroação o faz deixar para trás suas próprias dúvidas para lançar-se à responsabilidade de continuar o que Sethi iniciou e começar suas próprias obras no território egípcio.

Incentivado por sinais enviados pelos deuses, Ramsés inicia a construção de uma nova capital, e de seu templo de um milhão de anos, lugar que, ao abrigar seu ka (a energia divina que anima o Faraó) protege o soberano daqueles que atacam seu espírito.

Inimigos que se mostraram poderosos a ponto de colocarem em perigo a vida da grande esposa-real Nefertari, e de sua filha recém-nascida Meritamom.

Como se não bastasse, a paz do Egito está ameaçada. O povo hitita, de tradição belicosa, avança em território que outrora era neutro, ocupando terras cada vez mais próxima à terra abençoada pelo Nilo.

É bem difícil achar algum defeito nesse livro. E eu sou muito suspeita para falar, pois adoro toda a saga. A narração é bem fluida e a leitura é bem agradável, sem grandes riscos de ressaca forte. O toque de misticismo que cerca Ramsés é a cereja do bolo não só deste livro quanto da saga inteira.

Esse livro encerra a minha participação na Maratona Literária #EuTodeFérias por ser publicada no ultimo dia válido da Maratona. Não quis diminuir a frequência das postagens por imaginar que isso poderia prejudicar as postagens de fevereiro (terminei o décimo livro bem cansada e com uma ressaca, até o momento, controlável).

28 de jan de 2015

Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida - Eduardo Spohr


E pensar que esse já é o nono livro da Maratona Literária...

O Universo foi criado por Deus em seis dias, e no sétimo, ele descansou.

Sua criação mais amada, os humanos, recebeu do Criador a dádiva suprema: a alma imortal, responsável pelo livre-arbítrio e pela capacidade de evolução, adaptação e reprodução. Dons invejados por muitos celestiais. O próprio arcanjo Miguel, o Pricnipe dos Anjos, responsável por zelar pela Criação durante o repouso de Yahweh (Deus), tomado pela inveja, ordenou o extermínio da humanidade.

Mas Gabriel, Mestre do Fogo que atuava como vigilante, arauto e assassino dos homens, ao enxergar os homens como parte da criação do Divino, e abandonou o ódio aos mortais, e deus início a uma batalha no paraíso ao desafir Miguel e sair em nossa defesa.

A Terra se encontra em uma trégua frágil e delicada, que pode ruir a qualquer instante.

É nesse cenário que dois anjos, Levih e Urakin vem à Terra a procura de kaira, um anjo desaparecido que veio para cá em uma missão dada por Gabriel, que pode mudar os rumos da batalha celestial, e por consequência, determinar a destruição da humanidade. Os dois celestiais devem encontrá-la, resgatá-la e ajudá-la a completar a missão a ela designada.

A história por trás da história (classes angelicais, os sete céus, história do mundo e etc.) é muito bem explicada no apêndice, o que torna o universo criado por Spohr muito mais rico, e muito mais real também. Fora que os anjos de Spohr possuem alguns traços tão humanos que chegam a ser encantadores, e é impossível não se apaixonar por eles (principalmente pelo Levih e pelo Denyel).

Sem dúvida alguma, Herdeiros de Atlântida já entrou para a lista de Melhores Leituras de 2015. A história é incrível e a narração é maravilhosa e muito gostosa de se ler.

25 de jan de 2015

As Brumas de Avalon: A Grande Rainha - Marion Zimmer Bradley


Artur foi coroado e, como prometido, tomou como conselheiros líderes das duas crenças existentes na Bretanha: a cristã e a pagã.

Agora é chegado o momento em que o casamento se faz necessário, e a escolhida (por trazer consigo o dote de maior interesse para o Grande Rei) é a amedrontada Gwenhwyfar (eita nomezinho difícil de se escrever, viu?).

Enquanto isso, o filho de Morgana, gerado entre o Grande Casamento com Artur á época das fogueiras de Beltrane, nascera forte e rosado durante o inverno.

A oposição entre as religiões cristã e pagã da Bretanha se personalizam nas figuras das duas mulheres de Artur: Gwenhwyfar, cristã ferrenha, amedrontada com a simples ideia de sair ao ar livre (e além de tudo, teimosa e de mente limitada) e Morgana, Sacerdotisa de Avalon, conhecedora de várias artes e, de muitas maneiras, mais senhora de si do que Gwenhwyfar jamais seria.

E por mais que Artur tenha jurado ao Povo Antigo que protegeria sua crença, ele cede aos pedidos de sua esposa e, aos poucos, assume-se como um rei cristão... Mesmo sabendo que isso poderia colocar a perder valiosos, antigos e poderosos aliados.

Nesse volume, Morgana apareceu quase como coadjuvante. Durante quase todo o livro, a narração acontecia como se ela estivesse desaparecida, e de fato, ela estava em um mundo a parte do nosso, no mundo das Fadas, onde o tempo não existe.

Talvez seja justamente a predominância de Gwenhwyfar no enredo que tenha feito com que esse não seja o meu livro preferido da série.

22 de jan de 2015

Harry Potter e a Pedra Filosofal - J. K. Rowling

Primeira capa do primeiro livro, lançado aqui no Brasil em 2009.

Harry Potter é, de longe, a saga que mais marcou minha vida. Atrevo-me a dizer que ela me iniciou como leitora e, não a toa, iniciou minha biblioteca particular também.

A Rua dos Alfeneiros é um lugar normal habitada por pessoas normais. E a família Dursley é uma família típica do lugar. Em um dia estranho, o Sr. Dursley avista pessoas vestindo-se de maneira estranha na rua, corujas voando em plena luz do dia, e até um desconhecido o abraçou na rua e o chamou de trouxa como se fosse a coisa mais comum do mundo.

Durante a noite, um senhor estranho, vestido de maneira estranha coloca, na porta dos Dursley, uma cesta com um bebezinho dormindo a sono solto. O nome desse bebê é Harry Potter.

Harry não é uma criança comum, ao menos não par aos padrões "Dursley" de normalidade. Após a visita do do enorme guarda-caça Rubeo Hagrid, Harry descobre ser um bruxo . Mais que isso, ele é um bruxo com uma vaga na maior escola de Magia do mundo: Hogwarts.

E é em Howgarts que 90% do livro acontece. É lá que Harry conhece Rony Weasley e Hermione Grangers, seus melhores amigos, assim como outros alunos que se tornarão igualmente importantes para ele. É lá que Harry se torna o mais jovem apanhador do time de Quadribol da escola. É lá que ele começa sua inimizade com o nojento e mesquinho Draco Malfoy.

E é lá também, que Harry impede, pela primeira vez, o retorno do bruxo que o tornou famoso antes mesmo de saber falar ou andar: Voldermort, o bruxo que matou os pais de Harry e desapareceu ao tentar matá-lo, que durante anos foi o mais temido do mundo mágico, arquiteta um plano para obter a posse de uma substância lendária e retomar seu antigo poder.

Uma das coisas incríveis desse livro, é que ao longo de toda a narrativa, algumas frases marcam tanto, que nos fazem aprender algumas coisas quase por osmose e acabam nos marcando para toda a vida. Uma das minhas preferidas acontece logo após Hagrid levar Harry para comprar seu material escolar e Harry diz que está nervoso por não saber como vai ser sua vida em Hogwarts. Hagrid diz alo mais ou menos assim: 
Todos começam pelo começo em Hogwarts, você vai se dar bem. Seja você mesmo. Sei que é difícil. Você vai se sentir discriminado e isso é muito duro. Mas vai se divertir muito em Hogwarts.
Para mim, existe uma nostalgia incrível em reler Harry Potter. E não tenho dúvidas de que o lerei novamente mais para frente. :3

20 de jan de 2015

Sorteio #7 - Promoção de Super Aniversário - Blogs Estante da Rob, Sacudindo Palavras, Vamos Falar de Livros, Leitora Assídua e Um Livro na Estante

  Nós do blog Soletrando Felicidade, junto com vários outros blogs amigos, viemos comemorar o 2º ano do blog Estante da Rob e o 1º ano dos blogs Sacudindo as Palavras, Vamos falar de livros?, Leitora Assídua e Mais um livro na estante \o/\o/\o/

  E todo bom aniversário aniversário tem bolo, doces e é claro PRESENTES! E na nossa comemoração, quem ganha o presente é você! \o/


  Serão 45 livros com muitos mimos para 11 sortudos \o/ E para participar, é super fácil, basta conferir e cumprir as regras abaixo.

19 de jan de 2015

Noiva Irresistível - Christina Lauren


Noiva Irresistível finaliza a história do romance iniciado em Cretino Irresistível. E o faz levando o casal ao lugar mais clássico do "Felizes para sempre": ao altar.

Bennet Ryan e Chloe Mills são o tipo de casal que, não importa o quanto discordem, briguem, se provoquem, sempre se resolvem na cama. Os dois são iguais, e todos, inclusive eles mesmos, admitem que é justamente isso que faz com que eles sejam perfeitos um para o outro (até por que ninguém, a não ser um igual os aguentariam).

O Grande Dia do casal está chegando, os preparativos estão mais estressantes que nunca e a reunião de duas famílias que podem ser definidas por qualquer adjetivo, menos por discreta, promete levar os pombinhos aos mais altos picos de adrenalina. Como se isso não bastasse, Bennet inventa de fazer greve de sexo até o casamento (o que apenas piora o mal humor dos dois).

Nesse livro final, os capítulos pertencem apenas à Bennet e à Chloe, que se alternam nas narrações. Max, Will e suas respectivas parceiras marcam presença, mas como coadjuvantes (e cúmplices) do casal.

Eu sou suspeita para falar, sou fã do Bennet desde o primeiro capítulo e realmente gostei AMEI essa série do início ao fim dela. Falando desse livro em específico, eu gargalhei inúmeras vezes, principalmente nas alfinetadas trocadas entre Bennet, Max e Will. 
Prometo ser seu amante e amigo...
Seu aliado nos conflitos e seu cúmplice nas travessuras...
Seu maior fã e seu maior adversário...
Prometo ser fiel e colocar suas necessidades acima de tudo... Estes são meus votos para você Chloe, minha única amante e a única pessoa à minha altura em todas as coisas.
Em relação a necessidade de se acompanhar a série do início, essa necessidade existe. Do contrário, não dá para saber como é a personalidade dos dois tanto socialmente quanto entre quatro paredes.

16 de jan de 2015

O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde


De Wild a Wilde... Que coisa não?

Oscar Wilde começou este romance de uma maneira bastante inteligente: dois personagens quase opostos em suas personalidades em uma conversa que acaba desembocando no jovem Dorian Gray.

Basil Hallward é um artista, um pintor para ser mais exato, que viu no jovem Dorian Gray a inspiração maior para seu trabalho. Dorian é descrito por ele como um rapaz de intensa beleza de corpo e de espírito.

O interlocultor de Basil é o Lorde Henry Wotton, um dos personagens mais desagradáveis que consigo me lembrar de ter conhecido. Aristocrata, ele defende que tudo o que vale a pena no mundo é o que é belo e o que dá prazer aos sentidos e à alma. 

Finalmente, temos Dorian Gray, e de fato ele é um garoto muito agradável, ingênuo, sem consciência do efeito que sua beleza produzia nos outros. Mas bastou apenas uma conversa com Lorde Henry para ele não só perceber o peso de sua aparência como também sentir inveja de um quadro pintado por Basil. Afinal, a beleza registrada no quadro se eternizaria, enquanto Dorian envelheceria, perderia sua juventude e, com ela, sua chance de viver (o que para Lorde Henry era a maior tragédia que poderia acontecer a uma pessoa).

Dorian Gray, influenciado (até demais) por Henry Wotton, passa a buscar o que é belo, o prazer e o luxo, e a praticamente menosprezar todo o resto.

E é em algum momento desse novo modo de vida, onde o prazer, o luxo e a beleza mandam, que o desejo de Dorian Gray é atendido, e o quadro feito por Basil recebe as alterações do tempo em lugar de seu dono... 
"Mas o quadro observava, aquele rosto lindo, transfigurado, o sorriso cruel. (...) Já havia alterado, e alteraria ainda mais. (...) Para cada pecado que cometesse, viria uma mancha sarapintar, danificar aquela formosura. (...) Alterado, ou inalterado, o quadro seria para ele, o emblema visível de sua consciência."
Entre os clássicos que já li, este é um entre os de linguagem mais difícil de se acompanhar. Não por causa do vocabulário, mas, principalmente, pela estrutura com a qual a narrativa foi construída. Ainda assim, o livro vale a pena. Os pontos discutidos por Wilde nessa obra são fascinantes.
"Qual a vantagem de um homem em conquistar o mundo inteiro e perder a própria alma?"

14 de jan de 2015

Promoção #6 - Promoção Férias com Leituras



Janeiro, mês de férias... Tem coisa melhor?
E que tal se essas férias receberem um reforço extra para aumentar a animação?
Pensando nisso, mais de 40 blogs se juntaram para você aproveitar o tempo livre e participar de uma promoção incrível: serão sorteados cinco kits com livros e mimos imperdíveis!!! E, como, no Brasil, o ano só começa mesmo no Carnaval, você tem até o dia 14 de fevereiro para participar! \o/

Para isso, é muito fácil: siga o blog Alegria de Viver pelo GFC e curta as fanpages dos demais blogs, o que você pode fazer ao preencher os formulários abaixo. Para cada blog, você ganhará um ponto.

Nas chances extras (cada uma valendo 5 pontos!), você pode ainda compartilhar, publicamente, no seu perfil do Facebook, o link para este post, tuitar a respeito dessa promoção ou seguir os blogs participantes em redes sociais diversas. Então, vamos lá?


13 de jan de 2015

Wild Cards: Apostas Mortais - George R. R. Martin


Quarenta anos se passaram desde a infestação do xenovírus takisiano que ficou conhecido como Cartas Selvagens. O Dia da Carta Selvagem será comemorado com um grande desfile e com uma festa imensa... E eis que surge aquela pulga atrás da orelha gritando: "Isso não vai prestar..."

A dinâmica desse livro é um pouco diferente dos anteriores: enquanto nos outros os capítulos marcavam a alternância de personagens (ou, no mínimo, de escritores), nesse daqui, cada capítulo marca uma hora do dia para todos os personagens que fazem parte da trama (e não, a coisa toda não ficou confusa, o próprio tio Martin se certificou disso).

Nesse volume a matança está rolando solta: o Astrônomo, personagem criado por Lawies Shiner, conseguiu levar a expressão "sangue nos olhos" a um outro nível, e olha que ele já tinha feito isso no Ases nas Alturas.

Um outro carinha que está tocando terror é o General Kien (criado, provavelmente, por John J. Miller). Não sei se ele é ás, se é limpo... Só sei que ele sabe fazer uma bela bagunça quando quer.

As histórias desses dois "vilões" acontecem ao mesmo tempo, entrelaçadas pelos personagens da trama (que, muitas vezes, acabam caindo de paraquedas um na história do outro e isso foi uma das coisas que ADOREI em Wild Cards).

O final dessa edição trás um depoimento do próprio Geroge Martin contando como surgiu a ideia por trás de Wild Cards e como funcionou/funciona a dinâmica da série como um todo, e realmente fiquei contente em perceber que havia pegado o espírito da coisa mesmo antes de ler essa parte.

O mais legal foi entender, de fato, como a série funciona: a coleção, composta, até o momento, por 12 livros, foi escrita de modo a montar três arcos fechados e distintos (um de três livros, um de quatro e um de cinco)... Infelizmente isso pode significar uma demora no lançamento dos próximos livros da série... :(

10 de jan de 2015

UAU! Como Causar uma Ótima Impressão - Frances Cole Jones


Incluí este livro na Maratona por ele estar há uns bons anos mofando na minha comoda (onde coloco a pilha de livros que tenho para ler). Além do mais, achei que seria uma boa quebrar a sequencia de histórias fantásticas.
"É importante saber que, quando você quer criar uma boa impressão, nenhum detalhe é insignificante, nenhuma preparação é excessiva, nenhuma escolha é irrelevante."
Apesar de trazer vários assuntos já calejados em livros de autoajuda/aprimoramento profissional, a linguagem com o qual esse livro e trabalhado me surpreendeu um pouco. Frances Cole Jones foi informal o suficiente para falar a minha língua sem prejudicar a mensagem (por mais simplistas que os demais autores sejam, a formalidade usadas por eles os afastam um pouco da minha realidade).

E tanto nos assuntos mais fora da minha atual realidade (tipo "ministrando palestras") quanto naqueles que tenham mais a ver comigo, as coisas são colocadas de maneira simples e sempre acompanhadas de porquês, dicas, exemplos e experiencias vividas pela autora e por seus clientes.

Ainda tiveram algumas coisas que não me foram muito úteis, tipo como montar uma carta comercial ou como mostrar como a arrecadação ou a produção da empresa cresceu e colocar isso em um currículo ou ainda aquela velha história de delegação de tarefas. Enfim...

Bom, ao menos posso dizer "menos um  na pilha para ser lido". =x

7 de jan de 2015

Traída - P. C. Cast


De uma vampira milenar direto para outra adolescente! Traída foi sorteado como a segunda leitura da Maratona Literária #Eutodeférias (e confesso que já estava doida para lê-lo).

O Segundo livro da série House of Night se passa menos de um mês após os acontecimentos narrados em Marcada, e dessa vez, sinto dizer, mas a sequência dos livros é de suma importância para o entendimento da história.

Zoey ainda está lidando com sua condição singular, sua marca (que já era diferente) se expandiu, para completar, várias coisas começam (das quais não vou comentar pelo alto risco de spoiler) a acontecer praticamente ao mesmo tempo dentro da Morada da Noite.

Mas uma coisa eu posso falar: Zoey muda a maneira de ver algumas pessoas e uma delas é Aphrodite. Ela percebe que, talvez, exista alguém muito mais perigosa que a ex-líder das Filhas das Trevas e muito mais próximo.

Vejamos e convenhamos, a própria Zoey não é lá tão santinha. Usando as palavras dela: "Eu queria o Heath" (ex-namorado humano dela). "Eu desejava o Erik" (atual quase namorado). "Estava intrigada com Loren" (vamp professor, poeta mega lindo e super charmoso).

Se Aphrodite pode ser chamada de vaca por ser mesquinha/arrogante/metida, acho que a protagonista pode ser chamada de algo parecido por desejar os três. =x Tipo, nada é consumado, embora tanto Erik quanto Heath percebem e "engolem" o fato de os dois ocuparem um espaço nos desejos de Zoey.

Há uma parte realmente, realmente MUITO triste antes neste livro. O curioso é que antes dessa tal parte, o texto vai soltando pequenas indiretas sobre o que está para acontecer, como se estivesse nos preparando para a o ápice. Para mim, foi impossível não me colocar na pele de Zoey e sofrer com ela o que sofreria se algo parecido acontecesse comigo.

Ainda assim, Traída é, até o momento, o meu preferido da série, e mal posso esperar para ler o próximo.

5 de jan de 2015

Sorteio #5 - Aniversário do Blog Addiction for Books




É com muito orgulho que venho comemorar com vocês e com blogs amigos o aniversário de um aninho do blog Addiction for Books! :D

Gostaria de agradecer o carinho dos seguidores e de todos que comentaram, curtiram, compartilharam e me ajudaram a fazer o blog crescer!
Gostaria de agradecer também aos parceiros por esse ano cheio de realizações conjuntas!

Então não deixem de comemorar, que a festa é nossa e quem ganha são vocês, leitores! :D

REGRAS:

  • O período de inscrição será do dia 05/01/2015 ao dia 05/02/2015;
  • Para se inscrever é necessário preencher corretamente as entradas obrigatórias no formulário do Rafflecopter. As demais entradas são opcionais, mas lembre-se, quanto mais entradas preencher, mais chances de ganhar;
  • Residir ou ter endereço de entrega em território nacional;
  • Cada Blog é responsável pelo envio do seu respectivo prêmio, ou seja, os prêmios chegarão individualmente e em prazos diferentes;
  • O prazo de envio dos prêmios será de 60 dias após a divulgação do resultado;
  • O sorteio terá dois vencedores, sendo que o primeiro vencedor poderá escolher dois prêmios e o segundo vencedor ficará com os outros dois prêmios restantes;
  • O resultado será divulgado em no máximo 10 dias após o término das inscrições neste mesmo post e nas páginas de divulgação dos blogs participantes;
  •  Os ganhadores receberão um e-mail (de jordanasalamon@gmail.com) e terão 3 dias para entrar em contato. Caso não haja o contato dentro desse prazo faremos um novo sorteio;
  • Não nos responsabilizamos por extravio dos correios e endereços incorretos;
  • Não serão aceitos perfis promocionais.

2 de jan de 2015

Pandora - Anne Rice


Publicado em 1998, Pandora é um dos livros que comprovam que, apesar de As Crônicas Vampirescas formarem uma grande timeline, eles podem ser lidos de maneira independente um do outro.

Como o próprio nome sugere, quem conta sua história agora é Pandora, a cria a amante de Marius que durante séculos partilhara com ele a guarda Daqueles que Deveriam ser Preservados. Ela foi incitada a falar sobre si por David Talbot, até então, cria mais nova de Lestat. A diferença é que ela não é narrada por ela, e sim escrita pelo próprio punho e entregue a David posteriormente. Pandora consegue assim total liberdade e conforto para expressar sua história, pensamentos e sensações.
- Você me atrai para você - você disse.
- Por quê?
- Por que você tem uma história dentro de você; ela está articulada, esperando ser escrita, por trás de seu silencio e de seu sofrimento.
(Conversa entre Pandora e David Talbot)
Fazendo um chute sobre em que momento esse livro se encaixaria dentro da timeline da série, eu diria que ele ocorre após Memnoch e quase ao mesmo tempo em que o desenrolar de O Vampiro Armand. Mas novamente, a sequencia dos livros nessa coleção não é o primordial, uma vez que, qualquer coisa que o leitor, porventura, precise saber que ocorreu, é descrito em algum momento por algum personagem integrante da trama.

Comparado aos outros livros, Pandora é bem curtinho (acho que é o mais fino de toda a coleção). A linguagem e a leitura são bem agradáveis e até um tanto divertida graças à personalidade forte que ela possui (que, por sinal, me lembrou Lestat em alguns momentos).