31 de mar de 2015

Caçada - P. C. Cast


As coisas neste quinto volume de House of Night acontecem em um período de tempo muito curto, tipo, uma semana ou até menos. Mas para tentar fazer um resumo:

Na  noite em que Neferet libertou Kalona de sua prisão terrestre e espalhou os Reaven Mockers (filhos de Kalona, criaturas que são, de alguma maneira que eu ainda não consegui imaginar ainda, parte corvo e parte humano), Zoey e seu círculo foram para os túneis subterrâneos, onde Stevie Rae e os outros vampiros vermelhos habitam (isso ainda em Indomada).

Nos túneis (e agora eu entro realmente em Caçada), Zoey conta a Darius e aos vampiros vermelhos toda a história sobre Kalona (leia-se o que ele é, o que ele fazia com as mulheres, e como ele foi aprisionado dentro da terra). Aos poucos, a questão sobre o que aconteceu até ali se torna ruído de fundo diante do novo grande problema enfrentado: o que fazer para evitar que Kalona e Neferet completem seus planos e iniciam uma guerra contra os humanos.

As primeiras pistas são conseguidas graças a uma das vampiras vermelhas, abençoada por Nyx com o dom da escrita profética (nem sei se essa coisa existe, mas me parece a nomeação mais certa).

Temos também uma outra questão aqui, que mais envolve a Zoey e seus hã... amores. Colocando em pratos limpos, em Indomada ela terminou com Loren permanentemente fora da jogada, com o carimbo com Heath desfeito e com um Erick quase exalando raiva. Mas nesse, acreditem, temos o peguete numero quatro: pq além de o carimbo com o humano ter sido refeito, além do caso com o um Erick está bastante confuso, o garoto Stark, que havia morrido no livro anterior, ressurge como um novato vermelho que passa pela transformação ao fazer um juramento a Zoey de que seria seu Guerreiro, ou seja: ela voltou a ter que lidar com três garotos adolescentes na sua vida. Isso por que eu nem entrei na paixonite de Kalona por Zoey (que ela, graças a sua completa lealdade à Nyx, recusou por definitivo).

Aí junta essa confusão doida com um humor tipicamente adolescente e teremos umas das melhores curas para ressaca literária que já conheci.

Já perceberam que eu adoro a série né? (*risos*)

27 de mar de 2015

Ecos da Morte - Kimberly Derting


Violet Ambrose sempre teve uma mania estranha: achar corpos mortos e enterrá-los no que ela e o melhor amigo Jay conheciam como "o território sombrio".

Essa mania, só é possível graças à peculiar habilidade de Violet de sentir, vamos assim dizer, o rasto de morte que sai de um corpo morto. Os "ecos" são energias que se manifestam por cheiros, gostos, ou luzes, que a levam até esses corpos (e até o responsável pela morte).

A narração é em primeira pessoa seguindo as ações e pensamentos de Violet e, ocasionalmente, os pensamentos e ações da parte antagônica da história. è bem fácil diferenciar as duas partes primeiro por que elas são separadas dentro do capítulo e segundo por que as partes que não são dela são em itálico.

A trama é ótima, diferente e até cativante. A leitura flui com muita naturalidade e o vocabulário mais adolescente dá um bom contraste com o peso do suspense. A capa é um show tanto aos olhos quanto ao tato: a textura da parte azul é diferente da parte preta e as letras são em alto relevo. Simplesmente lindas! <3

Esse não é o tipo de livro que me acostumo a ler por causa de todo o ar de suspense que carrega o enredo. na verdade, eu o quis pela capa e o preço camarada feito por uma amiga compensou (*risos*) mas o livro foi bem agradável de se ler e fez tudo valer a pena.

24 de mar de 2015

Bento - André Vianco


"Uma noite começada como outra qualquer entra para a história da humanidade quando metade dos seres humanos adormece de forma inexplicável. Tratada como uma epidemia, a doença desencadeia um caos sem precedentes nas cidades do mundo."
Como se não bastasse, os humanos que se libertaram do sono descobrem que dividem a noite com verdadeiros demônios: os acometidos pela doença se transformaram em vampiros.

Lançado em 2003, Bento é o primeiro volume da saga O Vampiro-Rei (coisa que eu só fui descobri na página 50 de O Vampiro-Rei 1). Felizmente, alguma alma caridosa teve a ideia de colocar a trilogia sob um único nome.

Bento é o nome dado aos humanos que ficam "com sangue nos olhos" cada vez que chega perto de um vampiro hostil. Esses guerreiros quase medievais lutam com espadas e armaduras prateadas e entram em frenesi quando estão em combate com os noturnos.

Lucas é um desses Bentos. Na verdade, ele é o mais aguardado deles, pois, de acordo com uma profecia, quando o trigésimo acordasse, e reunisse os guerreiros, quatro milagres serão liberados e virarão os rumos dessa guerra contra os vampiros a favor dos humanos.

Narrado por um narrador externo, a história se desenrola  ora arrastada (principalmente na primeira metade do livro) ora mais dinâmica. intercalando três ou quatro frente de narrações.

Eu gosto dessa história por que ela é tem muita coisa da dose certa para conquistar o leitor: ação, suspense, bom enredo e boa narração. A exceção dos primeiros capítulos (foi por causa deles que adiantei a leitura de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban), a narração te prende, você fica mesmo torcendo pelo sucesso da missão de Lucas e até consegue sentir os momentos de desanimo e os momentos mais místicos da história (que, por sinal, são IRADOS!).

22 de mar de 2015

Mudanças a Vista!

Então. Quem acompanha este espaço desde o início, sabe que ele já passou por mudanças antes. Não só de layout, mas mudanças de nome também.

Depois de um tempo tentando escrever sobre todas as coisas que faziam parte da minha vida, descobri que algumas já não faziam mais tão parte assim (tipo os animes, os mangás e os filmes), e outras eram um tanto difíceis de escrever por falta de conhecimento mesmo, ou falta da atenção necessária para desenvolver algum texto satisfatório (leia-se os eventos e as exposições). E aí percebi que a descrição que eu usava ("Filmes, Eventos, Alegrias, Carinhos, Livros, Amizades, Musicas, Séries, Sorrisos. Letras que compõem o que alguns chamam de felicidade ao longo do livro da vida.") e o nome sob o qual eu me mantinha, não me atendiam mais como antigamente.

Aí a enxurrada de perguntas começou: "O que eu faço agora?", "Para onde eu vou?". E a mais intrigante: "Que nome eu adoto agora?"

A resposta veio depois de uma maratona acidental de diferentes versões de A Bela e a Fera. (*risos*)

Para não meter os pés pelas mãos e correr o risco de perder o pouco que conquistei até aqui, decidi começar devagar, testando algumas coisas, pedido opiniões sobre outras, até que no final de Janeiro lancei no Facebook a página de Os Livros de Bela (que, se vcs repararam, está no menu ao lado já há algum tempo). A minha surpresa foi que, em menos de dois meses de existência, essa página já está com 500 curtidas e crescendo cada vez mais. 

A velocidade com que esses likes vieram me fizeram ter certeza de que estou traçando um caminho certo dessa vez. Tanto é que algumas coisas que eu sempre achei importante que um blog tivesse, como uma "Politica de Parceria" e outras coisinhas mais, vieram com mais fluidez do que jamais senti nas versões anteriores deste espaço.

Um dia desses brinquei com uma amiga que estou tratando a preparação do Os Livros de Bela como preparei o meu TCC: de maneira lenta, planejada, revisando todos os textos trocentas vezes e com a certeza de que, quando eu ver o resultado final, ficarei plenamente satisfeita.

Os meus planos dessa vez, além da nova mudança de nome para Os Livros de Bela, é registar um domínio (até por que o link do Soletrando Felicidade está espalhado por lugares que eu nem imaginaria), quem sabe fazer excursões esporádicas ao mundo dos vídeoblogs e, assim que eu tiver condições para tal, tomar vergonha na cara e encomendar um layout decente que atenda aos desejos que eu puder bancar.

Então leitores amados, não se esqueçam de seguir a page de Os Livros de Bela. Tem muita coisa legal rolando por lá. ;)

19 de mar de 2015

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban - J. K. Rowling


Acabei pegando este livro para ler como uma forma de prevenir uma ressaca literária que poderia atrapalhar consideravelmente a leitura que estava fazendo (que, por sinal, será a próxima resenha). Acabou que consegui fazer algo que dificilmente pensei que conseguiria: ler dois livros ao mesmo tempo. E até que foi mais fácil do que eu pensei que seria.

O terceiro ano de Harry Potter em Hogwarts sequer começou e o novo perigo se anunciou, por incrível que pareça, em um noticiário trouxa: Sirius Black, um perigoso assassino, de alguma maneira conseguiu escapar de Azkaban, a prisão dos bruxos.

Sabem, as vezes dá até pena do Harry: descobriu que é alvo de um foragido, que por sinal também está relacionado com a morte dos pais, acabou ficando no meio da briga entre Rony e Hermione por causa de seus respectivos bichanos, e ainda por cima teve que consolar um Hagrid desolado pela expectativa de perder mais um "bichinho" por causa das idiotices e mesquinharias de Draco Malfoy. Isso sem falar naqueles horríveis dementadores.

O que eu acho incrível nesse livro é que a história te faz seguir uma linha de raciocínio perfeitamente lógica para depois revirar tudo e nos fazer ficar contentes e muito apreensivos com o desenrolar dos fatos. A coisa foi tão absurda que um gato (um de verdade) acabou se saindo como o mais espertos entre os personagens.

Quando esse livro acaba, você bem que pode não ter certeza sobre o que vai acontecer no próximo volue da série, mas fica com a consciência de uma coisa: a merda será jogada no ventilador. =x

15 de mar de 2015

Toda Sua - Sylvia Day


Crossfire é o nome do edifício em que Eva Tramell trabalhará em sua nova vida em Manhathan. Empregada em uma grande agência de publicidade do país, dividindo um charmoso apartamento com seu melhor amigo, todos os seus planos estavam se realizando.

Esse plano perfeito só não contava com um detalhe, ou melhor, com uma pessoa: um homem sexy, vestido com um terno de grife perfeitamente alinhado, de presença intensa e incríveis olhos azuis.

O "Moreno Perigoso", como foi apelidado por Eva, é Gildeon Cross, dono não só do prédio em que ela trabalha, mas também de diversas empresas (em diferentes ramos de negócios).

Ao mesmo tempo em que a autora usa da "formula pronta" para livros eróticos (homem lindo de morrer, gostoso até dizer chega, podre de milionário, pendendo para a obsessividade por controle, traumatizado e com algum relacionamento igualmente obsessivo a tira color), essa trama destoa das outras por que o personagem feminino também vem com um histórico bem traumático.
"Ele era um homem que não queria complicações em sua vida sexual, e eu era uma mulher que considerava o sexo uma coisa complicada."
Quando os dois acabam se rendendo ao à atração e ao sentimento existente, eles vão tateando e descobrindo os cantos escuros da personalidade um do outro ao mesmo tempo em que tentam lidar com todas as reações negativas que esses traumas despertam.

A narração desse livro é feita pela Eva em primeira pessoa. As falas são sinalizadas por aspas, mas não interrompem a fluidez da leitura.

De um modo geral, saí desse livro bastante animada para sua sequencia.

11 de mar de 2015

Veneno - Sarah Pinborough


Poucas vezes vi uma edição econômica tão linda como essa (fora, é claro, as da Zahar). Além da capa atraente, as páginas que fecham e que abrem os capítulos são decoradas com arabescos que me fazem lembrar daqueles livros infantis enormes e mágicos que eu adorava quando era criança.

Os personagens dessa trama são os mesmos do conto Branca de Neve, dos Irmãos Grimm. E a trama básica também é a mesma: uma rainha-bruxa do mal, uma princesa branca como a neve amada por todos no reino... As duas em um convívio que poderia ser chamado de pacífico até que um pedido de desculpas da rainha falha, uma bruxa ainda pior que a Rainha Má decide que Branca de Neve deve morrer e um Príncipe mesquinho e mentiroso que acaba ajudando (ou serias melhor dizer, agravando) a maldição da maçã envenenada.

Ao longo da história, dá para perceber indícios de outros contos de fadas, tipo Aladin, Cinderela, A Bela Adormecida e João e Maria e eu adorei a maneira como essas intervenções foram feitas na história principal.

Em alguns momentos da história (principalmente nas caracterizações dos anões e do caçador), eu me lembrei mesmo dos personagens de Once Upon a Time. Exceto pelo Rainha Má. Nessa eu me lembrei da rainha de Branca de Neve e o Caçador.

A narração é bem gostosa de se acompanhar e estou animada para o próximo voluma da série. :)

9 de mar de 2015

Sorteio #8 - Aniversário dos Blogs Srta. Bookaholic e Interessante de Ler

 Em março o blog Srta. Bookaholic e Interessante de Ler completam 1 ano, então para comemorar esse primeiro aniversário eles se juntaram com alguns blogs amigos, autores parceiros e editoras parceiras para preparar uma super promoção. Vocês não vão ficar de fora, né? 


 São ao todo 36 livros separados em 9 kits para 9 sortudos, além de livros também tem kit de marcadores! Para participar é bem fácil, basta seguir as regras obrigatórias dos formulários e caso quiser mais chances no sorteio é só preencher as regras extras.

Regras: 
  • Ter endereço de entrega no Brasil.
  • Cumprir com todas as regras obrigatórias dos formulários.
  • Comentar nesta postagem com seu e-mail para facilitar sua localização, caso venha a ganhar.
  • Responder o e-mail de contato em até 48 horas, caso contrário será realizado um novo sorteio.
  • O sorteio começa hoje, dia 09/03 e vai até dia 09/04.
  • Caso o livro retorne ao remetente, não será feito um segundo envio.
  • Não nos responsabilizamos por danos ou extravios causados pelos Correios.
  • Os livros serão enviados de forma separada, cada blog/autor/editora irá ser responsável por enviar o livro que cedeu e esse envio deverá ser feito em até 45 dias úteis.
  • Perfis fakes ou promocionais, serão desclassificados.

8 de mar de 2015

Ramsés: A Batalha de Kadesh - Christian Jacq


A guerra contra os temíveis hititas é evitada e negociada desde os tempos do faraó Sethi, mas agora já não é possível recuar. Os acontecimentos levaram à guerra e Ramsés não deixará o Egito perecer no caos.

Ocorrida no quinto ano de seu reinado, Ramsés prova para seus piores inimigos (internos e externos) que possui um apurado senso do que acontece em seu reino e que, além de tudo, goza de proteção divina.

O clima de guerra existente nesse livro dá a narração a tensão e a apreensão na medida certa para complementar todo o misticismo que existe por traz dos rituais e dos deuses egípcios e foi graças a isso, que A Batalha de Kadesh ficou como um dos meus livros favoritos dessa série.

Aqui, nesse terceiro livro da série, Ramsés se firma como grande soberano e protetor do Alto e do Baixo Egito. E, é sério, você pode ler uma, duas ou três vezes, não importa, a expectativa que fica é a mesma (pelo menos tem sido assim comigo). 

5 de mar de 2015

As Brumas de Avalon: O Gamo-Rei - Marion Zimmer Bradley


O reino de Arthur está pacífico, a Távola Redonda e os Companheiros do Grande-Rei são imagens da justiça ansiada há muito tempo e por muitas pessoas.

Mas Arthur já não luta por Avalon como fizera ao ser coroado. E Avalon não se esquece dos que viraram as costas para seus juramentos. E o acerto de contas fica mais próximo a medida em que Gwydion, o filho de Arthur e Morgana, se torna homem adulto.

É esse o rumo que as coisas tomam nesse terceiro livro da série.

Acho que já comentei isso nos livros anteriores de As Brumas de Avalon, mas vou dizer de novo: essa é uma das melhores séries que já li, e de longe, a que mais gosto sobre o Rei Arthur. A narrativa é fluida e os personagens são coerentes em suas ações, e a progressão dos fatos é bem lógica (ao contrário de O Único e Eterno Rei, que cada vez mais gosto menos).

2 de mar de 2015

Vittorio, O Vampiro - Anne Rice


Depois de quase dois anos lendo Anne Rice quase mensalmente, é estranho pensar que, mais alguns meses e ficarei sem mais nenhum para ler (faltam cinco títulos dela para serem lidos ainda).

Vittorio é um vampiro antigo, mais antigo até que Lestat), mas, ao contrário de todos os outros personagens vampirescos das Crônicas Vampirescas, ele não faz parte do círculo de Lestat, nem nunca se encontrou com ele nem com nenhum dos outros personagens.

Mas esse vampiro foi desafiado por eles a lançar sua história no mundo tal como Loius, Lestat, David, Armand, Marius e Pandora fizeram.

O caminho de Vittorio em direção ao caminho sombrio começa quando ele vê dois vampiros destruírem toda sua família e seu castelo, sobrevivendo somente graças ao intermédio da vampira Úrsula.

Em uma busca por vingança, ele é levado à Ordem do Graal de Sangue, uma seita composta por vampiros vestidos com vestes escarlates.

Recusando-se a fazer parte dessa congregação bizarra, Vittorio é deixado em Florença, onde mercadores o levam para um mosteiro para repouso. É no caminho desse mosteiro que ele encontra os anjos (sim, você leu certo, anjos) que o ajudarão a cumprir a promessa de destruir os vampiros da Corte do Graal de Sangue. 

Como recompensa pela aniquilação da Corte, Úrsula, a única a ser poupada por ter salvo a vida de Vittorio, transforma o garoto em vampiro. Juntos os dois continuam vivendo no castelo que pertencera à sua família, isolado do resto do mundo por florestas.

Apesar da narrativa inconfundível de Anne Rice, esse livro não me empolgou muito... celestes demais no meio eu acho... Sei lá, faltou alguma coisa.