30 de abr de 2015

Os Demônios de Deus - Alexander Mackenzie


Em um dia de trabalho comum, o Dr. Rodrigo Mazal começa seu dia com um paciente bastante inesperável: Deus.

Alegando sofrer com o peso da solidão (afinal, ele é um ser único em todo o universo e em todas as dimensões) ele escolhe Mazal para ouvi-lo.

Por seis semana, Rodrigo conversou com Deus. Em seis semanas, a vida particular dele rumou para o caos. E depois de seis semanas conversando com Deus, ele passou a conversar com Lúcifer.

E aí ele percebe que a coisa toda é muito maior do que ele conseguia imaginar.

Primeiro livro de parceria com o MadrasTeen, Os Demônios de Deus trouxe uma proposta bem interessante que me cativou muito rapidamente. Fiquei com o pé atrás durante alguns capítulos, e demorou um pouquinho para eu ficar realmente animada pela história.

A trama se passa no Canadá, porém, em alguns momentos, a impressão que eu tive era que os personagens viviam no Brasil (ou isso, ou "coincidentemente", o povo canadense passou a gostar muito de músicas, especiarias e nomes brasileiros).

Em relação à linguagem, a maior parte dela é de fácil entendimento. Nas partes das conversas com Deus, as coisas são bem explicadas e fáceis de entender. Há apenas duas ressalvas: a primeira é que o autor usou muitas palavras mais difíceis de compreender (e algumas repetidamente), nesse ponto, se o objetivo do MadrasTeen é o leitor jovem (estou considerando um "leitor jovem" uma pessoa de 17+), então esse vocabulário não é lá muito atrativo. O segundo ponto é que, estranhamente, praticamente todas as conversas do Dr. Mazal fora do escritório me pareceram forçadamente coloquial (tipo, sabe quando a filha chama o pai de "pai" em todas" as falas?)

Uma coisa importante, é que esse livro é para o tipo de leitor que possui mente aberta. Não apenas por causa da proposta, mas também por causa das coisas que são ditas e também de muitos dos eventos existentes dentro da trama.

Apesar desses pontos negativos, a história me surpreendeu a ponto de me deixar querendo a continuação, e torcendo para ela sair enquanto eu ainda tiver a parceria com o MadrasTeen.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)