30 de nov de 2015

O Amante Japonês - Isabel Allende


Curioso perceber que minha parceria com o Grupo Editorial Record me levou, novamente, a uma história cujo em cujo centro estão duas mulheres que, compartilham um lugar em comum. Neste caso, o lugar comum é o asilo Lark House, em São Francisco.

Irina Bazili é uma cuidadora de idosos zelosa em seu ofício, sempre cuidado dos residentes como se cuidasse de sua avós que ela deixou para na Moldávia. No asilo, ela tem o que há muito tem procurado para si: um trabalho que a aproxima de pessoas amadas e um lugar onde ela pode trabalhar sem que lhe façam perguntas sobre seu passado.

Após um curioso caso com um dos velhinhos residentes, Alma Belasco, uma senhora reservada, lúcida, e que propositalmente se mantem distante de todo os outros residentes, a contrata como sua secretária particular. 

Junto com Seth, neto de Alma, Irina começa a descobrir o passado de Alma Mendel, uma menina de origem polonesa mandada à América pelos pais na esperança de que a filha escapasse do horror nazista indo morar com os tios em São Francisco, e que conhece o amor com Ichimei Fukuda, o filho mais novo do jardineiro da família.

A narrativa desde livro é bem suave, e os capítulos, intitulados de acordo com o que será abordo (que pode ser um personagem, um lugar, um objeto ou um sentimento) ajudam, e muito, a reforçar essa suavidade. 

A autora foi econômica com as palavras a ponto de não cometer excessos e conseguiu contar o que se propôs a contar sem ser abstrata demais, arriscando jogar as protagonistas em um romantismo exagerado, e nem seca demais a ponto de Alma e de Irina parecerem alheias demais às questões do coração.

Faço aqui uma ressalva à tradução e à revisão deste livro: algumas passagens, trechos de uma ou duas linhas encontradas uma duas ou três vezes no livro todo, ficaram bastante confusas e sem nenhum sentido. Esses pequenos trechos não tiraram a beleza do livro, mas arranharam o que poderia ter sido um excelente trabalho da editora.

27 de nov de 2015

Possuída - Sylvia Day


Sapphire é a concubina preferia do rei de Sari. Suas habilidades, e a paixão que o rei nutrem por ela, no entanto, despertam a ira e o ciúme de Brenna, a gélida rainha de Sari. Com a esperança de tirá-la de seu caminho e, ao mesmo tempo, voltar a ter o coração de seu marido, Brenna decide afastar a concubina de seu palácio, libertando-a de seu contrato para com o rei.

Ao ser libertada com todas as honras que sua posição de "preferida do rei", Sapphire ganhou um enorme prestígio como concubina, um palacete luxuoso e vários criados leais. Um deles, no entanto, de criado não tem nem um fio de cabelo: Wulfric é o príncipe herdeiro de D'Ashier, o mais poderoso oponente do reino de Sari.

Torturado e capturado, a primeira coisa que Wulfric viu quando abriu os olhos foi a bela Sapphire. A atração entre os dois foi claramente intensa, e ele soube, assim que pôs seus olhos sobre ela, que ele a queria em sua cama, nem que fosse por uma noite. Os dois sabem que a ameaça de guerra entre os Impérios e o amor quase doentio que o rei de Sari sente por ela tornam um futuro em comum impossível, mas igualmente impossível é lutar contra o desejo intensa que cresce entre eles.

Mais uma vez, recorri à Sylvia Day para me recuperar de uma ressaca literária e, como não poderia ser diferente, não saí decepcionada. Adorei a história de Possuída não apenas pelo casal protagonista, mas também pelo mundo (pelos mundos, na verdade) que foi criado para servir de cenário para esta história: um  planeta exótico que mescla quase perfeitamente a tecnologia avançada com a busca humana por conforto e prazer.

Gostei bem mais de Wulfric do que de St. John, mas nenhum dos dois ainda chegou perto do incontrolável Gerard (e, sinceramente, vai ser difícil superá-lo <3)

24 de nov de 2015

O Duelo Dos Reis - Joe Abercrombie


O terceiro e último livro da trilogia A Primeira Lei foi lido com uma mistura de alívio e de frustração. Alívio por ter conseguido terminar uma série que me propus a terminar este ano, me deixando livre para que eu possa iniciar outra. Mas foi frustrante por que, bem, eu esperava um pouco mais da finalização.

O cenário de O Duelo dos Reis é de Guerra. De Norte ao Sul do Círculo do Mundo, os homens lutam para manter ou conquistar cidades: no Sul, os Gurkenses reconquistaram Dagoska e dizimaram mais da metade da cidade (a metade que sobreviveu ao certo narrado no Antes da Forca). No Norte, o grupo de Logen Nove Dedos está, junto com o exército da União, em guerra contra Bethold e seus Carls. Na Terra do Meio, onde Jezal dan Luthat, quem diria, ascendeu a uma posição deveras surpreendente, a guerra é travada internamente, com as intrigas inerentes ao governo, e externamente, com um imenso exército Gurkense marchando em direção ao Agrionte.

Assim como nos outros livros, as narrações são alternadas entre diferentes personagens, mas diferentemente dos outros, cada parte é mais rápida e, muitas vezes, os mesmos acontecimentos são vistos por óticas diferentes. Acho que esse recurso foi usado para tentar dar mais agilidade e velocidade à narração, mas, apesar de ter lido O Duelo dos Reis mais rápido que os outros volumes, esta continuou um tanto lenta demais para o meu gosto. E, vejamos e convenhamos, as margens estreitas e as letras pequenas não ajudaram muita coisa.

Meu problema com este livro foi que praticamente todas as suspeitas que começaram no livro anterior se confirmaram, e acabaram acontecendo, o que acabou com o elemento surpresa que eu tanto adoro em uma série fantástica. Talvez por ler fantasias demais, acabei vendo o rumo de algumas coisas antes de elas acontecerem e fiquei um tanto triste por não ter sido surpreendida.

21 de nov de 2015

Destinada - P. C. Cast


De volta à Morada da Noite de Tulsa, o extraordinário aconteceu: Nyx, a deusa da noite e dos vampiros, deu seu perdão a Reaven Mocker Rephaim e o abençoou com a forma humana durante a noite. A volta às aulas de Zoey e de sua "horda de nerds", no entanto, se mostrou turbulenta, pois não apenas Dragon não aceitou que o filho de Kalona frequentasse suas aulas, como Neferet, só para variar, piorou as coisas trazendo os novatos vermelhos liderador por Dallas para dentro da escola.

E ainda há o belo, misterioso (e perigoso) Aurox, um adolescente criado por Neferet (e pelo mal ancestral que toma forma de um touro branco), e incluído na Morada da Noite para obedecê-la. O estranho aqui é que Zoey desperta nele coisas que ele nãp sabia que podia sentir. E para a Grande Sacerdotisa Novata, há algo de muito humano, e de muito familiar nesse garoto.

Gostei de Destinada por vários motivos. O primeiro deles foi que, mais do que nos dois últimos livros, a "horda de nerds" voltou a ser a "horda de nerds" dos primeiros volumes, o que me proporcionou vários momentos de gargalhadas para lá de sonoras.

O segundo motivo, que está muito relacionado ao primeiro, foi que, com a "horda de nerds", as referencias ao meu amado mundo nerd voltaram, e teve direito à Harry Potter, Star Trek e Senhor dos Aneis (três das coisas nerds que eu mais amo nesse mundo).

Por ultimo, mas não menos importante, tem Aurox, que apesar das bizarrices, participou de todas (ou de praticamente todas) as cenas fofas deste livro. Houveram outras com Rephaim, e uma particularmente inesperada envolvendo Kalona, mas Aurox ganhou meu coração (assim como ganhou meu coração em encarnações passadas).

House of Night, mais uma vez, se firmou como uma de minhas séries favoritas, e Destinada ganhou meu coração muito antes da página 200.

18 de nov de 2015

Sorteio #13 - Promoção de Aniversário do Blog Brooke Bells



 Válida de 18 de novembro até 18 de dezembro!  
         
              Olá, leitores. Esse é um post muito especial e quem irá sair ganhando são vocês! No dia 10 de dezembro o blog Brooke Bells completa 1 ano de existência e pensando em uma maneira de presentear o maior número de leitores vários blogs se uniram para fazer uma mega promoção de aniversário. São 9 kits e portanto 9 ganhadores, cada blog é responsável pelo envio do livro após o encerramento do sorteio e possuí um prazo para envio, todos os detalhes estão no final do post. Tenho certeza que o que vocês querem saber são os prêmios, certo? Então confira, participe e não se esqueça de chamar os amigos para participar também!

16 de nov de 2015

Filhos do Éden: Paraíso Perdido - Eduardo Spohr


Soube, assim que vi o anuncio da pré-venda de Paraíso Perdido, que não conseguiria esperar um minuto sequer para lê-lo (tanto é que o passei a frente de vários livros que estão encalhados na minha pilha de "para serem lidos"). E, falando sério, a leitura valeu cada segundo.

(Se você é do tipo que detesta spoilers, sugiro que pare aqui.)

Kaira, Ukarin e Ismael, em sua busca por Denyel, acaram presos em uma cidade lendária e forçados a lutar contra ecaloths. A contenda resultou na destruição da cidade e os três anjos caíram no rio Oceanus, cujas águas interligam, pelo que entendi, todos os mundos.

É assim que Kaira e Ukarin chagam a Asgard, o lar das Valkírias e de todo o panteão nórdico. E é lá que, para a minha total alegria, está Denyel. A regressão do coro à Haled, no entanto, esbarra em um problema: Bifrost, a ponte que conecta a terra dos deuses à Midgard está sob domínio dos inimigos de Odin e de Thor.

Resolvida a primeira contenda, a missão de Kaira, isto é, encontrar e matar Metratron, é retomada. Aliados inesperados (e improváveis até) se juntam à causa e, quando a derradeira batalha é iniciada, mano, sai de perto, porque épico chega a ser eufemismo perto da coisa toda.

Novamente, temos algumas frentes distintas de narração: uma acompanha a jornada de Kaira, outra mostra a jornada de outros dois anjos, Ablon e Ishtar em sua missão de prender (ou matar) Metratron, muito antes do segundo cataclisma e do dilúvio que quase destruíram os homens. Foi Ablon que prendeu O Primeiro Anjo no Cárcere do Medo, de onde ele escapou no primeiro livro desta trilogia. Há ainda uma frente de narração que acompanha o próprio Metratron, embora essas sejam uma parte bem pequena do livro.

Achei curioso que, várias partes de Paraíso Perdi são difíceis de gravar. Cetras partes possuem tanta informação que reter alguma coisa se torna uma tarefa complicada, quase como se alguém nos desses essas informações para, em seguida, apagá-las de nossa memória. O mais curioso ainda, é que volte e meia surge algo que te faz lembrar destas informações perdidas. Me pareceu até ser efeito do encontro com um certo arcanjo que se separou de seus irmãos celestes para guardar as portas do terceiro céu, onde descansam a alma dos justos.

Paraíso Perdido encerrou a trilogia com chave de ouro, e apenas reforçou meu carinho e meu favoritismo por Eduardo Spohr. <3

7 de nov de 2015

Harry Potter e a Ordem da Fênix - J. K. Rowling


Lançado em 2003, o quinto título da série Harry Potter é um dos livros que eu mais amo e um dos filmes que eu menos gosto no mundo inteiro.

As férias de Hogwarts sempre foram torturantes, mas agora que Voldemort retornara, o dia a dia de Harry tem sido ainda mais insuportáveis. Ao contrário do que ele imaginava, não há absolutamente nenhuma informação sobre o retorno do Lord das Trevas, e o silêncio também contagiou seus amigos, que passaram as férias inteiras sem lhe mandarem absolutamente nenhuma noticia.

Mas então o impensável acontece: dementadores aparecem no bairro trouxa e por pouco não deram um simpático beijinho em Duda. De uma hora para outra, quatro corujas aparecem na casa dos Dursley, a mais intrigantes delas, no entanto, é para Petúnia, tia de Harry.

Quando finalmente um grupo de bruxos o busca na Rua dos Alfeneiros, Harry é levado para a sede da Ordem da Fênix, um grupo de bruxos que se organizaram, sob a liderança de Dumbledore para combater o Lord das Trevas.

Muitas coisas ficam muito estranhas neste livro, uma delas é o tratamento um tanto distante com que Dumbledore passa a tratar Harry, e outra ão os estranhos sonhos do menino com corredores escuros e os formigamentos (e dores) na cicatriz que Voldemort deixara em Harry.

Mas essas coisas são, obviamente, apenas uma parte ínfima da história.

É neste livro que a autora arremata vários nós e responde a várias perguntas que, até então ficaram sem resposta (e é este o ponto que me fez odiar tanto o filme: eles cortaram, justamente, a parte em que a história toda ganhava algum sentido. O quinto filme foi o ultimo que vi da série). 

Ainda estou me perguntando porquê enrolei tanto para reler este livro. A narração da J. K. é maravilhosa e, não importa se você leu o livro, você vai rir, odiar, sentir raiva, gargalhar, chorar, quase da mesma maneira que faria caso estivesse lendo pela primeira vez.

4 de nov de 2015

Sorteio #12 - Aniversário dos Blogs Reino da Loucura e Meu Passatempo Blábláblá


Photo Base: Blog Não Provoque

Ei amores, tudo bem?
Novembro é um mês mega especial, pois é comemorado o primeiro ano do blog Reino da Loucura e o terceiro do blog Meu Passatempo BláBláBlá. Antes de tudo queremos agradecer a todos que acompanham os blogs e fazem dos nossos dias mais felizes. Obrigada mesmo! <3

E para comemorar, vamos fazer um super sorteio com a colaboração dos blogs Amo Livros e Filmes, Os Livros de Bela, Memórias Literárias e Ler Para Divertir. Não deixem de participar e junte-se a nós nessa festa!

Regras para participação
 Para se inscrever é necessário preencher corretamente a entrada obrigatória no formulário do Rafflecopter. As demais entradas são opcionais, mas lembre-se: quanto mais entradas preencher, mais chances de ganhar;
 Residir ou ter endereço de entrega em território nacional;
 O sorteio vale de 03/11 até 06/12 e o resultado será divulgado em no máximo 5 dias após o término das inscrições neste mesmo post;
 O prazo de envio dos prêmios será de 60 dias após a divulgação do resultado;
 Cada blog é responsável pelo envio do seu respectivo prêmio, ou seja, os prêmios chegarão individualmente e em prazos diferentes;
 Serão dois ganhadores e cada um receberá um e-mail e terá 3 dias para entrar em contato. Caso não haja o contato dentro desse prazo faremos um novo sorteio; 

 Não nos responsabilizamos por extravio dos correios e/ou endereços incorretos

 Não serão aceitos perfis promocionais.