13 de dez de 2015

Príncipe Lestat - Anne Rice



Apenas digo que nem a dengue foi capaz de impedir que eu saísse de casa para pegar esta nova aventura do Príncipe Moleque. Meus pés estavam dormentes, eu me sentia dopada e um tanto febril, mas fiquei tão feliz quanto uma criança solta em um parque de diversões. <3 

Para entender um pouco o que está acontecendo aqui, é preciso voltar para a história de A rainha dos Condenados: Akasha destronada de seu posto de rainha e o Cerne Sagrado, a força que anima todos os vampiros do mundo, transferido para uma das bruxas/vampiras gêmeas. 

Anos (décadas na verdade) se passaram desde que Lestat foi consorte da Rainha dos Vampiros, tempo o suficiente para que outras crônicas, com outras aventuras vampirescas fossem publicadas. Anos que modificaram Lestat e a todos os vampiros do mundo. Anos que permitiram que a população vampírica se multiplicassem em todos os cantos do mundo. Anos despertaram uma força até então desconhecida para todos os vampiros. 

Não se sabe de onde a "Voz" vem, ou de quem ela emana, mas sabe-se que ela prega a destruição dos vampiros novatos a todos àqueles que possuem o Dom do Fogo, e sabe-se ainda, que ao redor de todo o mundo, covis e refúgios estão sendo queimados e que vampiros novatos e antigos estão sendo exterminados. 

A história de Príncipe Lestat é, basicamente, como vampiros de várias partes do mundo (e de várias gerações) estão lidando com as coisas pregadas por essa Voz. Vários vampiros surgem para nos narrar acontecimentos que, de uma maneira ou de outra, estão relacionados com esse perigo que surgiu no mundo vampírico, e não estou falando somente de personagens que se tornaram conhecidos pelas crônicas anteriores. Novos vampiros se juntam à narração, seres centenários ou mesmo milenares que sobreviveram às eras e às queimadas promovidas pela Mãe surgem e nos contam um pouco de seu passado, de seu presente e de seu papel dentro desse mistério promovido pela Voz. 

E essas não as únicas novidades, além dos vampiros antigos, a história de Lestat também sofre uma expansão, e passamos a conhecer coisas que não nos foram contados em crônicas anteriores, e o melhor de tudo: não houve contradições com as histórias das crônicas. 

E, só para constar, eu quase tive um treco em vários momentos deste livro. 

Gostei muito de rever alguns personagens e senti falta de outros. Adorei o rumo que a história deste livro tomou e, para falar a verdade, não esperava menos de Lestat. Ele queria ser amado por todos não queria? Pois bem, ele conseguiu. 

Uma coisa que não gostei tanto foi que me pareceu que, dessa vez, o final desta crônica significou também o final de toda a jornada iniciada com Entrevista com Vampiro. Fiquei com a impressão de que houve uma despedida e o fato do livro ter terminado como Louis, o vampiro que ousou revelar sua história para um mortal, só reforçou essa sensação.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)