2 de fev de 2016

A Dama de Papel - Catarina Muniz


O ambiente desta história é a Londres do século XIX. Molly, a protagonista, é uma prostituta de um bordel de periferia, cuja fama cresceu entre os homens desde o chão de fábrica até os mais altos círculos sociais. Estranho pensar que esse ambiente lúgubre foi preferido a uma vida de conforto, mas Molly preferia a liberdade de um prostíbulo á prisão de um casamento forçado pelo pai.

Em uma tarde qualquer, bate em sua porta o empresário Charles O'Connor. Ele a desafia a demonstrar-lhe suas habilidades a troco de uma alta quantia. O que ele não esperava era sair de lá apaixonado por aquela prostituta.

Em sua luta por controlar as sensações que Molly lhe desperta, Charles transforma seu amor em poemas. Ele registra todos os momentos, os de doçura, os de paixão, a dor de estar longe de Molly, textos e mais textos de amor e de voluptuosidade. Textos que são perdidos e espalhados por toda a Londres após uma tarde particularmente cansativa passada nos braços da encantadora Molly.

Lembro-me de que neste trecho em específico eu pensei "pronto, é a partir daí que as coisas vão desandar". A vida de Charles é cada vez mais pressionada pela crise financeira que assola suas fábricas, um personagem asqueroso ressurge na vida de Molly, e mesmo quando Charles pede que ela lhe seja exclusiva, mesmo havendo paixão e química entre os dois, mesmo assim uma ultima força se interpões entre os dois: a moral conservadora da época vitoriana.

A narração alterna os pontos de vistas dos dois personagens. Catarina Muniz nos passa uma descrição muito boa dos sentimentos, pensamentos e acontecimentos que rodeiam cada um dor protagonistas. 

Não espere finais felizes para Molly e Charles. Algumas coisas são simplesmente fortes demais para se lutar contra. A nós leitores, resta o consolo de saber que o amor de Charles pela jovem dama que fugiu de casa para se tornar prostituta rendeu um belo livro, repleto de poemas de amor.

Um comentário:

  1. Luiza, amei a resenha!! Obrigada por dedicar um pouco do seu tempo a essa dama que tantas alegrias tem me trazido. <3

    ResponderExcluir

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)