6 de jul de 2016

Desejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas


Desde o meu primeiro evento de Romances de Época da Arqueiro, tenho sido conquistada por estes livros. Não apenas pelas capas maravilhosas (confesso que, às vezes, sou do tipo que julga um livro pela capa), mas também porquê várias amigas morrem de amores por eles.

Tenho comprado vários de lá para cá e resolvi incluí-los na meta de leitura do ano por me parecerem ser o tipo de leitura que procuro para intercalar com os livros mais densos que, atualmente, dominam a minha lista de leitura.

Amélia Hathaway está a procura de seu irmão mais velho pelas ruas (e sarjetas) da Londres de 1848). Apesar de Leo ser o responsável oficial pelas irmãs desde a morte dos pais, é ela quem de fato cuida do bem estar de sua família.

Ao chegar ao clube de cavalheiros que seu irmão costuma frequentar, ela conhece Cam Roham. Meio cigano, meio irlandês, ele é, ao mesmo tempo, incluído na sociedade londrina por sua fortuna e,  mantido à sua margem por sua origem mestiça.

Vindos de mundos diferentes, e tendo desejos de vida distintos, os dois ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se verem. Quando os Hathaways se mudam para uma casa de campo recém-herdada graças a um inesperado título de nobreza que caiu nas mãos de Leo, Amélia descobre que se manter longe de Rohan será mais difícil do que imaginou, ainda mais considerando sua habilidade de se colocar em perigo (e da habilidade dele de salvá-la).

Rohan não quer se envolver com Amélia. O mundo em que ela vive exige limitações que um cigano abominaria. Ele quer a liberdade que tivera na infância, quando viajava com seu povo. Mas sabe: quando um cigano põe o pé na estrada, ele deve segui-la. Além do mais, talvez estar preso à Amélia não seja tão limitador quanto ele pense.

De fato, se todos os romances de época seguirem a linha de Desejo a Meia-Noite, não apenas meu objetivo de encontrar um "cura-ressaca" terá sido concluído com êxito, como também me deparei com um novo vício literário, porquê eu ADOREI cada página deste livro. De leitura leve, boa narrativa e enredo fofo, fui conquistada logo nos primeiros capítulos, e, de quebra, caí de amores pelo Rohan.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)