20 de ago de 2016

A Garota do Calendário (Janeiro) - Audrey Carlan


Mia Saunders não acredita mais no amor. Não mais pelo menos. Depois de quatro desastres amorosos, ela fechou seu coração. O erro #4, aliás, foi o que afundou seu pai em uma inacreditável dívida de um milhão de dólares (e ainda fez questão de espancá-lo até mandá-lo para o hospital em estado de coma).

Desesperada, ela recorre à tia, dona de uma empresa de acompanhantes de luxo na Califórnia. Não é o que quer, mas, se Mia tiver alguma pretensão de (1)pagar as dívidas do pai, (2) custear as despesas médicas, (3) pagar a faculdade da irmã e (4) oferecer a ela (e à família) alguma vida minimamente confortável, é isso o que ela terá que fazer.

Seu primeiro cliente é Weston Charles Channing III, um roteirista badalado de Hollywood responsável por alguns dos maiores sucessos de bilheteria dos últimos três anos. A principal missão de Mia é barrar os avanços das piriguetes que invariavelmente frequentam as festas do cinema americano, permitindo que ele converse com quem realmente interessa em seu ramo de trabalho,

Wes é um sujeito lindo, de olhos verdes e físico de surfista. Desde o início, deixou claro à Mia o que era esperado dela, assim como deixou suas regras bem clara quando ela aceitou ir para a cama com ele: sexo em abundância, monogamia, dormir em quartos separados e não se apaixonar. Para uma pessoa que levou pedrada na cara nos quatro últimos relacionamentos, era o plano perfeito.

Apesar do plano original não ter dado muito certo, os vinte e quatro dias em que Mia e Wes passaram juntos serviram para várias coisas. Uma delas, e talvez um dos pontos mais importantes, é que, agora, Mia poderá viver por ela, e que, talvez, as coisas não sejam tão ruins quanto parece ser. Ao se tornar uma acompanhante, ela também vai poder aprender a se envolver com um cara sem necessariamente apaixonar-se por ele.

Eu não tinha muitas expectativas quanto à história. A curiosidade em relação ao tema e o preço baixo na pré-venda foram determinantes para que eu comprasse a coleção. Se a história continuar assim terei, com certeza, encontrado uma excelente série para se juntar às várias outras em minha estante.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)