14 de ago de 2016

O Duque e Eu - Julia Quinn


Cada vez que ouvia minhas amigas do Clube do Livro falando sobre os Romances de Época da Arqueiro eu imaginava uma história que não exatamente correspondeu aos primeiros títulos do gênero que li. Apesar dos romances serem bem menos ardentes dos que eu me habituara, os casais de Desejos à Meia-Noite, Sedução ao Amanhecer e O Príncipe dos Canalhas foram um barril de pólvora queimando em diferentes velocidades e potências, mas, ainda assim, queimando.

A história de O Duque e Eu foi, comparado aos títulos apresentados, um romance cozinhando no banho maria: discreto, confortável, e com grandes chances de te fazer ficar totalmente conquistada por ela. Enquanto os outros me ganharam pelo embate de personalidades, esse me conquistou pela progressão "quase sem querer" do romance.

A família Bridgerton é do tipo barulhenta. Também pudera, com oito rebentos em diferentes idades, é difícil controlar o turba. Não que a matriarca Violet Bridgerton se incomode. Depois da morte do marido, a missão de sua vida passou a ser casar os filhos. E, apesar de Anthony, Benedict e Collin terem que aturar os esforços incessantes da mãe, nenhum deles sofre mais que Daphne, a filha mais velha, já na sua terceira temporada de "caça ao marido". Até então, todos os pretendentes que se manisfestaram eram velhos demais, ou, simplesmente, não a consideravam como pretendente em potencial.

A "solução" apareceu de onde ela menos esperou: Simon Basset, o duque de Hastins, melhor amigo de seu irmão Anthony, estava de volta à Londres. A intenção dele era, ao mesmo tempo, manter-se fora do assédio das casamenteiras de plantão e ajudar Daphne a ser notada por pretendentes mais agradáveis e que, até então, a consideravam somente uma "boa amiga" ou algo do tipo. O cortejo seria falso, e eles fariam somente o mínimo para que todos acreditassem que eles já estavam comprometidos.

Infelizmente, eles se apaixonaram. Daphne tinha que se lembrar que aquilo era uma mentira, Simon já dissera, mais de uma vez, que não queria se casar e muito menos constituir uma família, e isso era tudo o que ela mais queria. Simon, por sua vez, jamais se perdoaria se magoasse a irmã de seu melhor amigo, e, ele sabia, era isso que aconteceria se ele se deixasse envolver ainda mais por ela.

O Duque e Eu é um livro super agradável de se ler. A família Bridgerton é hilária e Violet é um destaque a parte. O romance entre Daphne e Simon é totalmente fofo e, apesar de àquela receita de bolo do "rapaz lindo e traumatizado e moça inocente e de gênio forte", a autora soube trabalhar tudo muito bem, obrigada.

Amei totalmente! <3

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)