24 de out de 2017

Norma - Sofi Oksanen


Durante toda sua vida Norma Ross só tivera à mãe. Não por não possuir outros parentes, ou conhecidos, mas por haver um segredo em Norma. Algo que fez com que Anita dedicasse sua vida inteira a esconder: os cabelos de Norma crescem de maneira sobrenatural, sensível às variações de seu humor e até mesmo a eventos corriqueiros como um tipo novo de cigarro ou uma taça de vinho em um bar ao entardecer. Sem falar que, de alguma forma, eles sempre a ajudaram a fazer uma excelente avaliação de caráter.

Bizarro não? 

Após a morte da mãe, Norma vasculha nas coisas de Anita, procurando entender melhor o que a levou a tirar a própria vida. O que ela encontra são fotos e vídeos que mostram a ela que a mãe sabia muito mais sobre sua estranha condição do que dizia.

As pistas levam Norma ao antigo trabalho de Anitta, o Tukkataika, um salão de beleza especializado em apliques capilares que revolucionou o mercado usando um misterioso cabelo ucraniano que parecia se adaptar a todo e qualquer tipo de cabelo e reagia muito bem a todo o tipo de tratamento.

Presa em uma rede de mentiras e paranoias e tendo seu cabelo como principal aliado, ela terá que se empenhar para sobreviver e escapar de um negócio que envolve muito mais coisas além de madeixas de origem duvidosa e suicídios suspeitos.

Antes de começar a leitura, imaginei que veria algo de cabelos formando tentáculos a torto e a direito e matando a um mero comando da mente (obviamente, minha imaginação fugiu bastante do que define o conceito de realismo mágico), mas os cabelos de Norma são sutis em seus movimentos (na maior parte das vezes ao menos). Ao se ver em um momento de tensão, seus fios se encrespam, momentos de ansiedade ou pressão fazem suas madeixas crescerem em uma velocidade alarmante, e nem tente tentar lutar contra Norma a não ser que queira um emaranhado de fios negros se enrolando em seus tornozelos (ou pescoço).

A história montada por Sofi Oksanen é original e bem estruturada. Os eventos são bem amarrados e os personagens foram montados com cuidado. Não é exatamente verossímil, mas você vê algumas verdades do nosso tempo tão escancaradas que você acaba se perguntando se não existe no mundo alguma pessoa que precise cortar seus cabelos de três a quatro vezes por dia por eles crescerem de maneira desenfreada.

Foi bom me arriscar com esse livro. Norma definitivamente foi uma das leituras mais inusitadas do ano e também uma das melhores leituras.

Um comentário:

  1. Oi Luiza,
    Uma história bem inusitada que me deixou curioso para saber quais são esses segredos que a mãe dela escondia. Que bom que gostou da leitura.
    Beijos,
    André | Garotos Perdidos

    ResponderExcluir

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)