27 de fev de 2018

Sete Minutos Depois da Meia-Noite - Patrick Ness


A história de como este livro chegou à minha estante é curiosa: eu havia encontrado a edição de capa original num sebo, e, como eu queria muito ler a história, levei (acho que vinte reais o valor da troca). Não estava muito satisfeita, já que queria a capa do filme (uma das poucas vezes que prefiro o cartaz do cinema à capa original). 

Pois bem, no mesmo dia, eu fui ao shopping com algumas amigas, e como todo grupo de leitores que se preze, acabamos passando na Saraiva. E lá estava essa edição, novinha, a vinte reais. Demorei um pouco para me decidir, já que tinha acabado de conseguir um exemplar (o que eu iria fazer com dois exemplares do mesmo livro?), mas acabei entrando na fila do caixa... E dei o exemplar do sebo para o vendedor que me atendeu. Saí da livraria com a sensação de ter feito uma pessoa feliz. hahaha

Estado de espírito curiosamente oposto do que senti enquanto li a pequena história de Sete Minutos Depois da Meia-Noite: não houve uma página, entre as cento e sessenta, em que eu não me derretesse em lágrimas.

Connor O'Malley é um garoto de 13 anos que está passando por um momento bem difícil em sua vida: a mãe está doente e passando por tratamentos rigorosos, o pai está longe, morando nos Estados Unidos com a nova mulher e a bebêzinha recém-nascida, os colegas da escola (e alguns professores) agem como se ele fosse invisível, exceto por Harry e seus dois amigos, que o provocam e o machucam diariamente; a avó de Connor (que não é como as outras avós que o rapaz conhece) está chegando para uma longa estadia, e ainda tem o pesadelo que o atormenta todas as noites e o faz acordar no meio da noite suando frio.

Curiosamente, o pesadelo o acorda sempre no mesmo horário, às 00h07min. Justamente a hora em que o teixo que habita o cemitério da cidade ganha vida e se encontra com Connor para lhe contar histórias das vezes que ele caminhou pelo mundo. 

Três histórias serão contadas pelo teixo. A quarta será de Connor, e, quando for a vez dele, ele precisará contar a VERDADE.

E tudo o que consigo falar nesse momento é que não estou psicologicamente preparada para ver a adaptação desse livro.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Então, o que achou da postagem?
Vamos, não se acanhe! Será muito prazeroso ouvi-lo! (Mas seja educado por favor. ^^)
Ah sim! Se você tiver um blog, deixe seu endereço para que eu possa retribuir a visita. ;)